publicado por Lisboeta1970-, em 30.01.14 às 19:22link do post | favorito

Tem-se assistido ao parlamento do costume, transmitido para todo o país na ARTV, sobre direitos, liberdades, e garantias; mas, nunca ninguém ouviu um único deputado ou interveniente no parlamento falar do dever de pagar o respectivo imposto (porque eles não têm entidade empregadora, logo não têm rendimentos, logo não faz sentido a alguém sem dinheiro discutir o dever de pagar o imposto)?

 

E é este dever que demonstra a inexistência da república, e a prova que o Cavaco não passa de um presidente dos ladrões (a maioria absoluta). Pois se o Cavaco preside (dirige) a república portuguesa e existem milhões de pessoas que pagam o imposto (cumprem com o dever), mas, não recebem os, direitos, liberdades, e garantias, adquiridos, então estamos perante a incapacidade das autoridades de manterem a ordem e os bons costumes, onde os animais que vivem no nosso meio têm a capacidade de ficar com tudo o que é supostamente fornecido às pessoas.

 

No fundo é o próprio Cavaco, e outros funcionários (sem empregador, tipo, juntas de freguesia, câmaras municipais, etc.) que ficam com o dinheiro dos deveres pagos pelas pessoas para receberem, água, electricidade, comunicações, manutenção, etc., ou seja, as pessoas pagam, as autoridades (os empregadores) não recebem o dinheiro, e os que furtam o dinheiro (os animais) contratam os chamados funcionários públicos para fornecerem às pessoas, esgoto tratado nas condutas da água, tensão eléctrica sem qualidade, comunicações a velocidades baixas e cobertura fraca, e a manutenção é uma miragem, existindo canalizações de água e esgotos, fios eléctricos, contadores avariados mas funcionais, etc., com mais de cem anos e ainda em uso, tudo porque o dinheiro é para pagar salários de funcionários sem empregador. E se mais dinheiro houver, mais funcionários são contratados sem empregador, tudo para impedir que o dinheiro esteja nas contas e que as autoridades consigam utilizar tais contas para cumprir com o fornecimento...

 

Ou seja, eu pago o imposto, via MB, e outro fica com o dinheiro e paga o seu imposto (com o dinheiro do meu imposto).

 

O facto é que ninguém recebe água, o que existe é que alguns têm filtros, e a urina filtrada pode ser bebida, sem ser altamente prejudicial à saúde. O facto é que ninguém recebe electricidade, o que existe é que alguns têm reguladores de voltagem, pois os aparelhos não funcionam a 230 volts, a inscrição de 230 V num aparelho eléctrico significa que essa é a voltagem máxima suportada por tal aparelho, pelo que as tomadas residenciais, deviam fornecer 219 volts, pelo facto de ainda existir muita peça de reparação à venda no comércio local de 220 V, nomeadamente resistências de termoacumuladores, etc., o que deve significar que a EDP faz ameaça, ou pagam, ou forneço 231 V...

 

E é assim que Portugal funciona, e quem queira fazer fortuna, é só arranjar maneira (tipo troika) de forçar os animais a pagarem-lhe, que esses são tipo Patinhas, nadam em cofres cheios de dinheiro (dinheiro dos impostos dos deveres de outros)!


De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
15
16
17
18

20
22
24
25

26
27
28
29


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds