comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 14.01.12 às 15:01link do post | favorito

O Éden, onde o Adão e a Eva se alimentavam, foi concebido, com um propósito. Tudo indica, porque na Bíblia Sagrada diz que todas as coisas são purificadas no ventre, relativo aos alimentos, ou seja, na minha opinião, o Adão foi criado para purificar os alimentos impuros ingeridos, porque os alimentos ingeridos, passam por diversas fases, sendo o resultado final, fezes, as quais contém uma mistura de alimentos e sangue, ora o sangue é rico em Oxigénio, e assim as impurezas nas fezes ficam vivificadas pelo sangue... O que aconteceu quando o Adão ingeriu o fruto proibido, foi que introduziu fruto, o qual não estava impuro, no seu ventre, e o resultado foi a visão da sua nudez...

 

Também diz no Apocalipse que o diabo é preso, e depois importa que seja libertado por algum tempo, e que enganaria, se possível, até os escolhidos de Deus, ora o diabo foi solto, e enganou a serpente, e a serpente enganou a Eva, e a Eva enganou o Adão... Ou seja, tanto, a serpente, como a Eva, como o Adão, não eram os escolhidos de Deus.

 

Depois disso, o diabo foi para sempre lançado no inferno, também conhecido por Hades, mas é minha opinião, que o diabo lá está, não por castigo, mas, porque diz na Bíblia Sagrada, que o fogo tudo purifica, e como o Diabo está sempre impuro, tem de estar no fogo para ser constantemente purificado...

 

Ora a Bíblia Sagrada, diz que o povo Judeu, é o povo escolhido de Deus, mas se esse povo descende do Adão, e o Adão não foi escolhido de Deus, como pode o povo Judeu ser o escolhido. Não me parece que o povo seja escolhido por Deus, nem o Judeu, nem outro povo qualquer...

 

O homem foi criado, para inalar Oxigénio e expelir dióxido de carbono, e para engolir alimentos e evacuar fezes, esse é o propósito do homem existir, nem mais, nem menos...

 

E assim foi o paraíso do Génesis, até que Deus expulsou o Adão e a Eva, e colocou impedimentos, para que ambos nunca mais pudessem lá voltar...


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 13.01.12 às 22:19link do post | favorito

Para falar de religião, vem me à memória as imagens dos muçulmanos virados para Meca, todos prostados no chão (a cheirar o rabo uns dos outros), estando apenas o sacerdote na torre, ou seja, todos os fiéis se colocam num nível rente ao chão, para que apenas o sacerdote esteja perto de Deus; esta é a interpretação que faço de tal práctica dos muçulmanos...

 

Nunca li o Corão, mas já li a Bíblia Sagrada, tanto o velho, como o novo testamento. Tal livro é o livro mais importante da religião não muçulmana, seja, a católica, a pentecostal, ou outra... Começa no Génesis, e termina com o Apocalipse... O Génesis refere a criação do homem e da mulher, nomeadamente do Adão e da Eva, e aqui começa a adivinhação do significado das palavras inscritas nesses textos, o que para se poder interpretar é preciso ir ao original, porque as traduções perdem sempre muito do significado, e como diz o povo, quem conta um conto, acrescenta sempre um pouco... Nunca li o original por isso o que vou dizer, é apenas a minha opinião...

 

Acho, que quando Jesus Cristo, no sermão da montanha, fala sobre os pássaros que não trabalham, e que Deus cuida deles, quanto mais do homem, não está correcto, porque os pássaros, e outros bichos, como, a abelha, e a formiga, e a aranha, trabalham e muito; no caso dos pássaros caçam minhocas e outros insectos, apanham ramos para construir o ninho, e muito mais... Aliás o mesmo Jesus se refere a Deus como um pai que está ausente, e que quando voltar irá castigar aqueles que maltratam o seu filho, ou que são maus servos, ou seja, o próprio Jesus ensina que Deus não está na terra, nem a visita...

 

Depois quando o apóstolo João escreveu o Apocalipse, ou também conhecido por livro das Revelações, ou seja, o texto que revela tudo, escreve, Eu Sou o Alfa e o Ómega, o Princípio e o Fim, referindo-se a que, o livro do Génesis, e o livro do Apocalipse, são o mesmo, ou seja, tudo o que neles está escrito, já aconteceu, e aconteceu na mesma altura... Lá está escrito sobre um animal com sete olhos, e assim, e este animal existiu no Éden (o paraíso do Adão e Eva), o cordeiro de Deus, e talvez ainda exista... Lá também diz que o diabo e o falso profeta são vencidos por Deus, e que o Diabo fica para sempre no Inferno, que é onde está, para todo o sempre... Lá também diz que é criada a nova Terra, apenas não sei se aqui é a velha ou a nova...

 

Depois existe todo o episódio da serpente, da maçã, e da mulher e o homem que desobedecem a Deus, perdendo algo, que leva Deus a dizer que maldita é a Terra por causa da desobediência dos dois, mas se Deus é o pai, nada mais normal, que o filho desobedecer, nem que seja, pela curiosidade de provar algo diferente... Na minha opinião Adão e Eva foram os únicos da espécie humana que estiveram perto de Deus, e também os únicos que falaram com Deus... Depois disso Deus abandonou a Terra, porque se tornou maldita, ou seja, desagradável... Mas a Bíblia Sagrada, tem muitos relatos, de outros homens que falaram para Deus, mas nenhum (incluíndo Jesus) ouviu a sua voz em discurso directo, como o Adão. E este afastar de Deus, é na minha opinião, o começo da religião, ou seja, o contar de como Deus é, e como fala, e o que diz, ou seja, Adão o contou aos seus filhos, e os seus filhos, a outros, até que houve homens que se dedicaram a contar tais histórias, os sacerdotes...

 

É claro que hoje em dia, ninguém saberá tais histórias, ou seja, está tudo perdido na memória de outrora...

 

O que existe hoje em dia, é os defensores do chamado Espírito Santo, mas o espírito é aquilo que não tem forma corpórea, ou seja, um cheiro, também é um espírito, e santa, na minha opinião, significa onde está coisa sã... Também a Bíblia Sagrada refere que Deus é vida, e que é o Espírito de Deus que tudo vivifica, e que sem o Espírito, o corpo está morto, o que me leva a afirmar que o Espírito de Deus é o ar puro que respiramos, o qual está em toda a parte; e comprova-se que qualquer animal que não respire, ao fim de algum tempo acaba por falecer... Hoje em dia também se ensina, que o ar é composto em parte por Oxigénio, e que ao inalarmos Oxigénio, este é absorvido pelo sangue nos pulmões, sendo essencial na existência de todas as coisas...

 

Religião, é então, a tentativa de se mantêr as memórias de como Deus é, e qual a sensação de estar na Sua presença, etc.; tudo o resto que as pessoas ao longo dos séculos foram praticando e chamando de religião, é outra coisa qualquer, desde o poder de curar, ao falar com Deus, a não ser, que seja, tudo feito num sentido figurativo, como recordação do que já existiu, mas, que na práctica não tem qualquer efeito.

 

E, assim, Deus, o criador de todas as coisas, lá está, longe, para nunca mais voltar à Terra maldita.


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 21.05.11 às 21:42link do post | favorito

Diz o povo na rua: "Isto está tão torto, que já ninguém o endireita!".

 

Mas se está errado, e se continua a practicar, ou é um mau povo, ou é uma democracia!

 

Isto da democracia, é como a religião, e outras ordens, ou casas antigas, foram estabelecidas, e os descendentes têm que levar com tais estabelecimentos, quer queiram, quer não... E qualquer adulto sabe o que acontece, quando se tenta obrigar um ser humano, a obedecer, é a rebelião e a revolta!

 

Por isso é que nunca se esclarece quem está enquadrado (é sempre a enganar), a quem cumpre obedecer, quem são os portugueses... É sempre a fazer, política, propaganda, quem pagar paga, quem não pagar perde os benefícios, etc.; tudo sempre muito superficial, sem aplicação na práctica...

 

O que se sabe, é que o que se pretende obtêr, é sempre o mesmo, ou seja, ficar com o que é dos outros... Um velho que tenha, uma vaca, algumas galinhas e ovos, batatas, couves, frutos, aparece lá o fiscal da Câmara Municipal, e pergunta se pagou o IMI, e se não pagou (até porque não pode por não receber euros), ficam-lhe com os animais, e com a terra... Ora o velho, já cá andava, e estabeleceu-se, ainda o 25 de Abril, e o IMI, não cá estava; fica logo sem nada, e o fiscal fica com tudo... Por isso é que 60% dos imóveis são do estado e da igreja, para estar em regime de isenção (mas continuam a usufruir dos imóveis)...

 

Um gajo casa com a gaja, tem de pagar, o serviço religioso, um gajo constitui actividade comercial, tem de pagar, notários, conservatórias, publicações no Diário da República, etc.; ou seja, é sempre a gastar, sem receber... Isto da democracia, religião, etc., sai caro, e é tudo esquema, para obrigar outros a entregar o que é deles de boa-vontade! Os sacerdotes até dizem, haja paz e boa-vontade entre os homens (é sempre a meter para o bolso)!

 

Ora, estes esquemas, sejam da tradição, sejam do estabelecimento, seja do regime, é sempre a mesma treta, os que tenham alguma coisa, ficam sem ela, para pagar impostos; os que não têm, inventam impostos para sacar aos que têm... Lá diz o sacerdote: "Ninguém dá o que não tem."...

 

Actualmente temos que aturar os Jardins e Cavacos e Sócrates (os Açores não chateiam!) dessa democracia, que não passam de indivíduos, que são obrigados a cumprir com o que outros estabeleceram... E essa é a base do engano, alguns indivíduos obrigam outros a pagar para cá viverem, sejam, nativos ou retornados das colónias, depois os que têm que pagar, como não têm, constituem governo, para obrigar outros a pagar, para que o governo possa pagar a outros; se os que trabalham, e os que têm propriedades, e os que têm alguma coisa, quiserem livrar-se dos impostos do governo, aparentemente, a melhor solução, é constituir "frente de salvação" e obrigar os estrangeiros (africanos, de leste, brasileiros, etc.) a pagar a taxa de permanência no território da nação, e chamar-lhe: a TPT do zé povinho...

 

Se está torto, outros que o endireitem, que eu não estou para aturar os filhos dos outros, e as suas mariquices... Se fossem homens não andavam a pagar com o que é dos outros... Se fossem funcionários públicos, teria de ser publicado no Diário da República, o nome e a categoria profissional (tipo foi contratado pelo governo o funcionário Sócrates, para ministro)...


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 24.04.11 às 00:43link do post | favorito

Se eu fosse máquina diria: "does not compute."...

 

Esta coisa da tradição, da religião, dos feriados religiosos, da nação, não compreendo, nem nunca vou compreender. Tudo isto existe, porque dizem os sacerdotes: "o povo é estúpido"... A questão é pertinente, porque no jornal nacional "o Diabo", informa que o FMI vai ficar com as praias portuguesas, ou seja, a costa portuguesa, mas se a dívida é afinal de 410 mil milhões de euros, porque não levam, também, os Açores e a Madeira, e também, as águas e concessões de pesca, e no continente podiam ficar com, as reservas naturais, os patrimónios mundiais, e mesmo assim não deve chegar...

 

Depois não compreendo se o país precisa de resgate, ou seja de empréstimo de dinheiro, e se o empréstimo não acontecer, será a falência do país, então porque é que o povo continua a querer, eleições, governos, hierarquias, religião, se já está demonstrado que o resultado é sempre igual, a recessão, e a falência... Além do povo, porque é que a classe trabalhadora vai todos os dias para os seus postos de trabalho, se a empresa onde está empregado tem uma dívida enorme... Será por falta de independência? E se a TAP ou a CP, empresas com contabilidades em estado de falência, anunciarem que estão a recrutar novos trabalhadores, no dia seguinte haverá filas e filas de candidatos, e todos sabem que está em falência, mas iriam na mesma!

 

Seja qual fôr a razão das coisas nunca mudarem, e mesmo que sejamos muito ignorantes, ao ponto de falarmos um idioma, mas não sabermos o significado das palavras, como por exemplo chamar praça a um militar, porque todos os dias, que passam no quartel, os militares se reunem na praça, em formatura, ou seja eles não são praça, mas como costumam estar na praça, passam a ser os praças... Sinceramente não sei o significado de praça, em termos da origem da palavra, mas se quisesse conseguia inventar um dicionário com origens do, latim, grego, árabe, e depois atribuir os significados que me apetecesse, e é isso mesmo que as publicadoras de dicionários fazem, contratam meia dúzia de professores catedráticos, e apresentam uma obra literária, tal como se fosse o conhecimento da língua do português, mas, após uma breve análise, a qualquer dicionário publicado em Portugal, verifica-se que não sabem os significados das palavras, apenas o costume do povo, em associar, acções, ou lugares, ou classes, a palavras, por terem comportamentos ou feitios similares ao significado da palavra... Esta é uma das razões que leva os sacerdotes a chamar estúpido ao povo, mas eu tenho a certeza que apesar de eles pensarem que sabem, sendo os portadores da verdade, na práctica também são estúpidos...

 

Eu não compreendo, até porque para alguém compreender tinha que ter sido explicado ou ensinado, mas como não existe quem saiba, vai passando de geração em geração a ignorância dos antepassados, e assim sendo, não compreendo porque as escolas continuam a classificar os conhecimentos adquiridos, quando deviam era classificar quanta ignorância cada aluno tem... Passava tipo a ser, o mais ignorante, é o melhor aluno (tipo só sei que nada sei)...

 

Mas, a classe política, a classe médica, a classe militar, a classe sacerdotal, pensam que sabem... Estamos tramados por estas classes e muitas mais... E todos eles recebem dinheiro e com primazia sobre o dinheiro, ou seja, em caso de falta, eles recebem sempre, se sobrar então vem o resto para os outros (tipo inferiores)...

 

Não compreendo porque se paga impostos, e não se recebe mercadoria ou serviço em troca... Não compreendo porque se continua a participar numa sociedade, a qual está mais que falida... Não compreendo porque se luta e morre por ideais que levam à revolução... Não compreendo porque se fazem revoluções para receber sempre a mesma coisa, dinheiro (se fosse revolução havia mudança)...


mais sobre mim
Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
blogs SAPO