comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 15.10.13 às 01:12link do post | favorito

A população que vota, faz tal acção em consciência, mas será que têm consciência que:

 

1. Querem obrigar todos a pagar pelos crimes e actos dos outros, ou seja, um casal têm um bebé, depois vendem-no para comprar droga e álcool, e a criança depois de ser maltratada sexualmente durante anos acaba abandonada nalgum asilo, e todos vão ser obrigados a pagar pela sua educação e alimentação e estadia até ser considerado apto a ser independente (isto é triste para a criança, mas, um terror para quem nada contribuiu para a situação).

 

2. Depois o estado sabe destas situações, tem os indivíduos referenciados, mas, continuam à solta, e nem sequer são obrigados a indemnizar as vítimas, o que leva ao big brother.

 

3. O big brother é uma cadeia de vigilância por câmara de vídeo em lugares públicos e privados!

 

4. A TVI coloca vários programas deste tipo, onde o privado é visionado 24 horas por dia, mas, mesmo assim os crimes são praticados e nunca revelados pelas câmaras de vídeo, e no caso deste Casa dos Segredos 4, onde os concorrentes têm ligações a Chelas, tendo todos mais de quarenta anos (gajos e gajas), e o Lourenço que é mulher não consegue ser identificado, e sempre se vangloriou em Chelas de ter praticado vários homicídios, e o Thierry que tem uma lista interminável de queixas contra ele por agressão (especialmente dentro da discoteca Alcântara-Mar, e talvez Alcântara-Terra), e o João que é o homem dos sete ofícios, pois agora é barman, mas, entre 1993 e 1995 era motorista da CARRIS (ou provàvelmente andava a praticar assaltos na CARRIS); será que a TVI está a preparar os espectadores para a vídeo-vigilância, ou está a gastar os milhões que seriam para implementar o big brother em Portugal, ou Chelas quer implementar o sistema e mandou os seus meninos e meninas fazer o curso big brother...

 

5. A questão da população votar tem mesmo com isto, anda meio mundo, a comer o outro meio mundo, e querem obrigar todos a pagar tudo, desde, eleições, hospitais, transportes, etc., quando a população nem sequer tem água para beber que não lhe cause doenças no aparelho digestivo, nem sequer tem cuidados primários e básicos, é tudo aldrabado e estragado porque não pagam por fora...

 

Ou seja, eu tenho o direito de resistir e de não querer participar nesta cambada de animais selvagens a que chamam Portugal, onde ninguém é respeitado e tudo, mas mesmo tudo, é construído e concebido para causar danos a todos os que frequentem tais locais.

 

As estações de tratamento dos esgotos continuam a estar em zonas residenciais, e o cheiro chega a viajar mais de 30 quilómetros, nos dias ventosos, enchendo o ar a 30 quilómetros de um fedor insuportável.

 

Portugal, onde em 40 anos de democracia da treta nunca se ouviu um cabrão de um ministro dar uma boa notícia, é sempre não há dinheiro, tudo vai ficar mais caro, vão ter que pagar o vosso e o meu pois eu nunca vou trabalhar, a economia do estado está em recessão, etc.; isto é muito estranho, os anos passam, e a lenga-lenga não muda. E a população continua a votar e a eleger esta forma de governar!

 

Das duas uma, quem vota, não trabalha, e vive às custas dos outros, ou são masoquistas e gostam de ser pisados e maltratados (desde beber mijo com gosto a cerveja, a comer carne velha, a viver em habitações velhas, etc.)...


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 07.10.13 às 22:38link do post | favorito

Tanta balela governamental que até arrepia, agora chegou a vez dos viúvos e viúvas de serem atacados (é triste ver idosos a serem incomodados psicològicamente por gajos de fato)...

 

Estes ataques do governo a várias fracções da população são indício de crime, mas, também tais criminosos (no sentido que prejudica, ou causa dano a outrém) ficam impunes num sistema estabelecido para proteger tais criminosos da população! Ou seja, os ministérios pertencem ao governo para os proteger, através da legislação, de toda a população estabelecida neste território nacional. Ninguém protege a população, ou defende os seus direitos, toda a população está por sua conta e risco! E os tribunais aplicam a legislação em vigor, a qual é unilateral e apenas defende as entidades governamentais.

 

O problema, é que tanto o governo português, como o estado português, não dependem do território nacional; aliás tais entidades, podem estabelecer a sua sede onde bem quiserem, que continuaram a ser chamados de Portugal, quer estejam em território nacional, ou não. Quando o Cavaco visita as ilhas desertas, pode estar a arrendar tal área, para estabelecer como sede de algo esse local, por ser, provàvelmente, a área mais barata do território nacional.

 

Ou seja, o governo de Portugal, constituído por indivíduos naturais dos PALOP (Moçambique, Angola, Cabo-Verde, etc.), tornam-se arrendatários do território nacional, ou parte dele, depois pagam aos seus donos as rendas, tornando-se eles os senhorios desses terrenos, e depois praticam sub-arrendamento e hospedagem (forçando tais populações a pagar pela alimentação), ou seja, o negócio deles é nunca trabalhar, mas, praticar de intermediário entre a população e os senhores da terra!

 

No fundo, todo o parlamento, no sentido de falatório político, nunca tem o conteúdo verdadeiro, ou seja, é um monte de mentiras, com o objectivo de provar que os terrenos arrendados por eles, se encontram com população contida neles, e por conseguinte são devedores, dependendo da sua posição face à legislação (mas, é sempre balelas)... São balelas, porque a legislação em vigor, nunca se aplica à população, conforme o enquadramento legal, pois apenas se aplica àqueles que protege, os constituíntes da república portuguesa e membros do governo de Portugal...

 

Esta é uma nação de governação por meios de comunicação, ou seja, as medidas e acções a serem aplicadas, são aquelas que são verbalmente transmitidas na televisão, e escritas na imprensa, o que se traduz, que quem governa apenas tem de pagar aos "media" para aplicar as suas ordens!

 

Depois anda uma multidão de gente, incluíndo polícia, a colocar tais ordens em práctica, mas, que nada tem de legal, e sempre se verifica que são agentes à margem da lei a explorar tudo e todos.

 

Uma embrulhada simples, mas, pouco eficaz, cujos resultados nada interessam, e cujo único propósito é encher tal território nacional com o lixo (poluição e matérias perigosas ou contagiosas, geralmente embaladas e engarrafadas por questões de higiene e saúde pública, e vai o zé povinho e come e bebe aquela trampa) dos países vizinhos...


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 19.10.12 às 00:24link do post | favorito

Primeiro puseram à venda a TAP, depois a RTP, agora "um grupo de angolanos" comprou a Controlinveste, perdão, vendeu "a grupo angolano", sim, porque se fosse "um grupo de angolanos", teriamos um monte de pretos vindos de Angola, enfiados nas redacções, do DN, do JN, e da TSF, a construir palhotas, e a desfilar de tanga, com lança na mão...

 

O Oliveira vende Controlinveste a grupo angolano, porque deixou de ter o controle das contas, cortesia do sistema bancário actual, e das medidas do governo do Passos Coelho em acabar com o sigilo das contas bancárias, é tudo a pirar-se, pois o fisco põe a mão em tudo, e fica tudo congelado... E que melhor maneira de esconder os danos e falcatruas, que dar o controlo das empresas a pretos... Por outro lado, toda esta gente que diz ser o dono disto, e dono daquilo, são todos falsas "autoridades" que chegam a um local que é grátis, colocam uma secretária na entrada, e passam a cobrar dinheiro a todos os que lá queiram entrar. Aliás a moda actual é colocar seguranças na porta, e um gajo que queira trabalhar, tipo fazer uma audição às contas, acaba barrado na entrada e empurrado para a calçada. Aliás muitas das empresas e fábricas que são fechadas, são propriedade da república portuguesa, e que os trabalhadores antigos, se apoderam de tudo, e quando ficam sem encomendas fecham, e não deixam outros tentar renovar a produção!

 

Por isso, qualquer um, pode chamar de ladrão, na cara do Gaspar, e na cara do Passos Coelho, e na cara do Relvas, e na cara desses políticos todos, porque, um ladrão é aquele que mexe naquilo que não é dele, que é precisamente o que essa gente da política, e das classes, faz, mexer no que é dos outros, e fazem disso profissão...

 

Por falar no Miguel Relvas, hoje, defendeu no Parlamento que "desistir agora" significa "condenar o País à bancarrota", o que é claramente uma ameaça, ou pagam o orçamento ou fecham esta treta toda. Esqueceram de avisar o Relvas que o país sempre esteve na bancarrota e de lá nunca vai sair...

 

Por falar no orçamento de estado, ou orçamento do estado (não sei qual é mais correcto), será que a população não acha estranho que o orçamento anual tenha um valor muito elevado, e que apesar dos funcionários públicos conseguirem gastar aquele dinheiro todo, não produzem o suficiente, ou até me atrevo a dizer que produzem pouco, ou nada.

 

Por outro lado, a população mesmo com dinheiro para as despesas fica em apuros, pois o que compra em estabelecimento comercial está tudo sujo... A farinha está com caruncho, o feijão com gorgulho, a carne com larva, o fruto com mosca, e ainda por cima, a água canalizada, é esgoto tratado e branqueado, o que nem se pode chamar de água.

 

Cada um só tem o que merece! Como neste país ninguém merece o quer que seja, é só ganho, receber todo o lixo que nos vendem. É um tratamento de merda, mas, à quem lute, e se dispa, na frente da bófia destacada para o parlamento (está tudo doido)!


mais sobre mim
Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
blogs SAPO