comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 31.05.13 às 20:51link do post | favorito

Ora, agora até claques temos na Assembleia da República...

 

Os deputados têm pouca ou nenhuma inteligência, seja nos discursos, seja nas decisões, e o facto é que ninguém os elegeu, porque não existe a equipa do PS, e a equipa do PSD, e a equipa do CDS, e a equipa do PCP, e a equipa do BE... Ou seja, votou-se em partidos políticos e não em pessoas singulares ou equipas (a equipa é sempre a mesma, o nazismo), e muito menos claques.

 

Ora, as claques, têm o hábito de destruir tudo por onde passam, e pergunto: Se as bancadas das galerias da AR estiverem danificadas teremos todos (os portugueses todos de Norte a Sul) de pagar a reparação? Mas, eu nunca entrei na Assembleia da República?!? Então, usando o mesmo princípio geral, se um português praticar homicídio, vamos todos presos!

 

Uma dívida pública superior a 200 mil milhões de euros a quem? Eu não devo nem um euro?!? Factura? Qual factura falta pagar?!? Como é o que não entendo, pois a despesa pública está sujeita ao orçamento de estado, e apenas pode atingir um duodécimo do orçamento, mensalmente, ou seja, por mês, apenas é autorizado gastar 1/12 do total previsto, conforme o Decreto-Lei n.º 20/78 de 20 de Janeiro (Artigo 2.º, limite mensal das despesas públicas)...

 

E benefícios fiscais de 250 euros por ano, e apenas se gastar mais de 9 mil euros em restauração! Só um doido é que gasta tal quantia em restaurantes, e se gasta tanto, não cabe sequer nas portas...

 

E por fim, a saúde dos portugueses, pagar IRS, pagar IVA, para ter um serviço de saúde, que geralmente não existe, ou seja, precisa de cuidados dentários, não tem (cheque dentista é falso), precisa de lavagem aos ouvidos, não tem, precisa de cuidados estéticos, não tem, ou seja, regra geral, todos os serviços que a maioria dos portugueses necessita, o serviço nacional de saúde não tem (nem com credencial).

 

Pagar? Dívida? Só se os portugueses forem doidos é que pagam impostos, para zero benefícios (ou abaixo de zero)... Ah, e se forem doidos, estão isentos de pagar impostos, porque têm doença mental, e é devido o reembolso a esses contribuintes.


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 31.12.12 às 13:02link do post | favorito

O porquê de existir montes e montes de indivíduos que não têm entidade empregadora e enganam a população portuguesa com, troika e dívidas soberanas e públicas, com uniões políticas quando apenas existe moeda comum, com cultura que afinal não é cultura apenas artistas a sacar o deles, ora tudo isto e muito mais só serve para justificar os milhões e milhões de euros que gastam por mês, mas, que na práctica não serve para nada, só serve de fachada para encobrir a verdadeira origem da dívida, os vícios e dependências das drogas e produtos similares que visam aliviar essa gente toda que vive no nosso meio, mas, não consegue ter cabeça para trabalhar, e trabalho que produza...

 

De um ponto de vista bíblico, tudo indica, que são indivíduos que matam e roubam, e depois ficam malditos, a ouvir e a vêr demónios, outros apenas têm tormentos mentais, de tal ordem, que injectam heroína para que o corpo deixe de funcionar e possam ter alívio do que os aflige...

 

Ora esta gente toda a gastar cem euros ou mais por dia, apenas em toxicodependência, e claro está um dependente de químicos não trabalha, anda sempre de um lado para o outro, sempre cheio de raiva, e não consegue andar a pé, pelo que precisa de carro, de motorista, de casa, ora essa gente toda junta formou os partidos políticos e mandaram publicar nos diários da república a retenção na fonte, e assim, para pagarem as suas despesas e necessidades, mas, como já nem conseguem roubar, tal é o estado do corpo deles, inventam estas recessões, estas dívidas astronómicas, que seria impossível de existir se essa gente toda trabalha-se e produzisse!

 

No fundo são corpos malditos, que querem combater Deus, e que como são ignorantes e não o sabem fazer, optam por destruir os seus próprios corpos, e os corpos daqueles que conseguem convencer, a experimentar tais drogas, e ainda se tornam corpos indesejáveis, para os que não se drogam, porque espalham a droga na atmosfera apenas com a sua presença, devido a terem as veias e pulmões cheios de droga...

 

A lista não tem fim, desde estudantes do ensino superior, aos licenciados, aos políticos, aos clérigos, etc., o facto é que onde houver dívida elevada, onde houver furtos avultados, existe gente toxicodependente envolvida.


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 29.12.12 às 18:21link do post | favorito

A história de que cada português deve vinte mil euros para pagar a dívida soberana, mais a dívida pública, e sei lá mais o quê, é algo que não lembra nem ao diabo, primeiro porque 80% da população não recebeu nada ou fez coisa que justifique tal dívida pessoal... Depois temos o tratamento que cada português recebe, e se tal tratamento fosse colocado em análise pelo tribunal, os portugueses teriam que ser indemnizados, e muito!

 

Aliás nas lojas, onde se pode adquirir os produtos distribuídos à população local, encontra-se 99% dos produtos os quais foram enviados para abate, por estarem fora das condições regulamentares, tipo congelados que a distribuição quebrou a cadeia de frio, anulando a garantia da fábrica, pois os congelados após descongelados não podem voltar a ser congelados, tipo detergentes que estão fora de prazo, tipo enlatados que estão em excesso e cujos lotes não têm valor nutricional, etc.; depois as roupas, que apesar de serem fabricadas no ano passado, são fabricadas com tecidos mais antigos que eu, os quais já entraram em decomposição e causam graves problemas pulmonares...

 

Nas fábricas é o vale tudo, desde o uso de matéria-prima fora de prazo, ao total desrespeito pelas normas de segurança, etc.; mas, o pior é que depois põem esta sucata comercial toda nas mãos de pobres, os quais ainda fazem pior, tipo na carne, chega a estar cães esfolados inteiros com cartaz a dizer cabrito, água nos detergentes, água noutros líquidos, tudo o que se possa sacar uma porção do produto original, é depois preenchido com água da torneira, etc., sim, porque esses pobres dos trabalhadores, desde, pessoal dos escritórios, armazéns, caixas, não vai viver com os mil euros mensais que lhes pagam!

 

Portanto se apesar de estar tudo classificado como produto de luxo, e de elevada qualidade, na práctica quem consumiu esse produto foi outra pessoa, e não aquele que adquire na loja e vê a sua identificação inscrita na factura... Aliás as facturas deviam ter exactamente o lote do produto adquirido para que o fisco possa verificar se o PVP é o correcto, porque de lote para lote, no mesmo produto manufacturado pela mesma fábrica, o PVP varia consoante a qualidade desse produto...

 

Mas, como os portugueses foram habituados a viver sem direitos, porque o regime simplesmente apenas quer se mantêr no poder, sem qualquer intervenção na sociedade, tudo fica na mesma ano após ano... Eles (os portugueses) têm habitação, mas sem as condições ideiais, eles (os portugueses) têm alimentos, mas sem nutrição, eles (os portugueses) têm forças armadas, mas vivem sem segurança no dia-a-dia!

 

É por isso que eu não pago, nem nunca vou pagar, os tais vinte mil euros, nem que o governo e seus agentes me coloquem pistola na cabeça, ao estilo de execução da máfia!


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 26.01.12 às 18:35link do post | favorito

Pois é, os políticos actuais, são mentirosos, e nada espertos...

 

Ora, se Portugal tem dívida, a culpa (ou responsabilidade) não é dos trabalhadores. Porquê? Porque os trabalhadores só gastam o que ganham a trabalhar, e se houver casos de endividamento, é particular, ou seja, lá porque um trabalhador deve dinheiro a outrém, os outros trabalhadores nada têm com isso, quem realizou o negócio de emprestar é que fez asneira, pois não zelou para ter garantias que as prestações seriam pagas...

 

Então, quem deve dinheiro a outros países? São aqueles que importam mercadoria, e depois não recebem o pagamento pela mercadoria entregue (ou seja perdem a mercadoria), seja esta apropriada pelos polícias ou fiscais, seja esta entregue nos canais de distribuição, e o dinheiro nunca depositado nas contas correctas; ou seja, o povo paga na loja, mas, o dinheiro é que não chega lá. Porquê? Porque os políticos e outros dirigentes não devem nada à inteligência, aliás, pelo andar da coisa, os políticos, só fazem asneira da grossa, contribuindo para o endividamento externo e interno, pela simples razão, que não têm as habilitações necessárias para governar o quer que seja, incluíndo a eles próprios... Os políticos, deviam estar todos internados, quanto mais não seja por mania da grandeza... Se fossem os maiores, o país não estaria em crise, ou seja, o país teria tudo pago, com as contas em dia, mas a organização política é nula, e os políticos querem é o deles ao fim do mês, e trabalhar o mínimo, que é por isso que passam a vida, a legislar as mesmas coisas, ou seja, este ano alteram a lei do arrendamento, para o ano alteram a lei do trabalho, no ano seguinte a esse alteram a lei da televisão, tentam alterar a constituição, mas quase sempre com fracasso, e não saiem da cepa torta...

 

A pergunta é simples, quem contratou estes partidos políticos, para governar? Eu não fui. O povo também não (só se fôr alguma minoria).

 

O problema, é que minaram de tal maneira o comércio local, que sempre que um gajo compra qualquer coisa, paga impostos directos e indirectos (chegando ao dobro do valor adquirido), sempre que um gajo gasta electricidade, paga impostos e portarias (chegando ao dobro do custo da electricidade), sempre que um gajo trabalha, paga impostos e taxas (chegando a ficar sem metade do que ganhou)... Ou seja, quem são os monstros que ficam com o dinheiro, pois se um gajo paga o dobro, recebe metade, se o dinheiro não chega aos importadores; quem são os monstros que ficam com o dinheiro?


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 08.12.11 às 14:35link do post | favorito

Hoje, no noticiário da SIC, ouviu-se o Sócrates, a dizer para uma plateia que, a dívida não se paga, gere-se; e também que, a dívida é eterna...

 

O contexto aparentemente refere-se ao governo português, e a posição apresentada verbalmente refere-se aos ensinamentos recebidos nas aulas da ciência economia recebida pelo Sócrates.

 

Depois aparece o Freitas do Amaral a dizer que é por isso que a crise está em Portugal, e que a culpa é do Sócrates, e que o Sócrates percebeu mal a ciência economia...

 

Eu acho que é óbvio, o que o Sócrates, diz, é que quem não tem dinheiro tem dívidas, pois se tivesse dinheiro pagava, e tinha crédito... Quanto ao facto da dívida ser eterna, é preciso dizer que eterna não significa perpétua, ou seja, paga-se a dívida, com empréstimo, o qual por sua vez gera mais dívida e assim instala-se um círculo, mas onde as dívidas vão sendo outras diferentes das anteriores...

 

Acho que o Sócrates não diz que o governo tem dívidas, ou outra entidade, apenas se refere a uma situação óbvia, a falta de dinheiro...

 

Eu acho que Portugal não tem crise, nem dívida, o que a propaganda da crise, e outras similares, significa, é que não há dinheiro, ou seja, o dinheiro que há, está todo destinado, sem sobra para quem precise de dinheiro.


mais sobre mim
Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds