comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 17.10.14 às 17:26link do post | favorito
A democracia devia acabar e em vez de haver eleições, dividia-se o país em regiões, e em cada região havia um governo de um partido único, e o povo em vez de votar num partido, mudava a sua residência principal para a região onde estivesse o governo da sua escolha partidária e ideológica...

Uma região seria neutra, sem ideologia ou governo...

Outra região seria governada pelo comércio e os interesses dos comerciantes... E eu julgo que esta seria a região com a maioria da população, não que o povo seja comerciante ou assim, mas, escolhem roubar, e à descarada (socialismo, seja, de esquerda, ao centro, ou à direita)... Exemplo da roubalheira é o governo do Coelhone, que de PSD nada tem, pois falta cerca de 200 milhões para a função pública e (qualquer semelhança com a ficção é pura coincidência) vai baixar os pensionistas em cerca de 200 milhões em 2015! Pagar à cambada de doentes que são a maioria dos funcionários públicos com o dinheiro dos ex-trabalhadores é algo mesmo reles. Depois temos ainda os serviços, que nada servem, as análises do serviço de saúde podiam passar para as farmácias onde um gajo comprava um kit, daqueles que pica o dedo, e muda de cor para cada caso ou infecção, o que existe no mundo inteiro à venda, menos em Portugal; tipo fazia-se o teste às doenças sexuais e se desse positivo levava logo o antibiótico correcto, sem ter que estar a gastar tempo e dinheiro em médicos e laboratórios que estão ultrapassados a todos os níveis. Outro serviço é a educação onde o professor tem um programa escolar desactualizado e inútil pois nada ensina que sirva a produção nacional, ou a realização pessoal. As forças armadas e de segurança podiam ser extinguidos pois a segurança é zero, quem apanhar alguém a roubar o que lhe pertence, nada recebe, mas, se furtar numa loja, ou andar em transporte público sem pagar, é condenado a pagar 100 vezes o valor furtado, ou seja, segurança é deixar tudo bm acessível para que seja furtado para receber muito mais do que se fosse vendido. Enfim é uma sociedade medíocre e doente que vive com regras imorais, cuja decadência se deve ao fedor que emana das fossas urbanas, e da imundície e fraca higiene das habitações.

Na práctica o nazismo, mente, rouba, e mata, depois o socialismo apropria-se do que o nazismo roubou e distribui por todos, e o comunismo impede que o socialismo se torne em capitalismo... A nível mundial poderá dizer-se que a Europa é nazi, a China é socialista, e a Rússia comunista. Pudemos acusar o comunista de viver às custas do capital alheio (gatuno) e se o comunista responder que o capital lhe pertence pudemos acusá-lo de ser capitalista a fazer-se passar por comunista...

Na práctica Portugal é nazi, um monte de ladrões e assassinos, incluindo as polícias. Já me aconteceu comprar na internet, com pagamento no Multibanco por referência (quase trinta euros) a essa empresa e nunca recebi, nem o produto, nem a factura, nem o reembolso, e depois contactei várias autoridades, desde a ASAE, banco emissor do cartão, portal da queixa onde estão vários queixosos da mesma loja, câmara municipal, junta de freguesia, e nada, nem resposta da loja, nem das autoridades, se fosse um país de gente séria e honesta teria de receber quase três mil euros de penalização (100 vezes 30) de algum fundo comercial ou seguro da SIBS/Multibanco, mas, nada acontece, fiquei sem o dinheiro, e todos tomaram conhecimento da minha perda e dano!

Existem milhares de indivíduos que dedicam a sua existência a aldrabar a mercadoria, ou seja, adquirem produtos fora de prazo de validade, desde, medicamentos, alimentos, vestuário, etc., e trocam as embalagens, colocando nas, farmácias, mercearias, hipermercados, lojas, etc., os produtos fora de validade nas embalagens que informa que estão na validade... Resumindo, posso não ser contabilista, ou advogado, mas, um trabalhador ou pensionista, que adquire "gato por lebre", verifica-se a anulação da sua retribuição, logo, os portugueses que trabalham ou recebem pensão são não devedores, mas, em constante ataque pessoal à sua integridade física e saúde e bem-estar; sendo constantemente furtados nos seus direitos, e o governo e estado faz vista grossa (conluio) e os tribunais e sistemas correcionais aprovam e fortalecem tais furtos e anulam o direito à indemnização e reparação de danos.

Mas, o povo é que escolhe, e o povo continua a escolher roubar os que produzem, e chama-lhe socialismo e democracia, e quando tentam reaver o que produziram por falta de pagamento são chamados de inimigos do estado!

mais sobre mim
Outubro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO