comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 15.09.13 às 20:33link do post | favorito

Segundo, José Seguro, que declarou, que o Governo quer pôr pensionistas a financiar buracos orçamentais, a questão é, então e o que vai a autoridade a que o José Seguro pertence fazer? Nada, como nada? Porquê? E o dever de fazer cumprir a legislação?

 

www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/seguro_governo_quer_por_pensionistas_a_financiar_buracos_orcamentais.html

 

Então, mas, isso de colocar o dinheiro dos outros a financiar as bolsas dos ladrões não é novidade, aos anos, que usam a inflacção no PVP, dos bens que podem ser adquiridos nas lojas comerciais, para financiar todos e tudo, menos o adquirente... Já para não falar do dinheiro do IRS e IVA que é retido em sede...

 

Isto de colocar os ladrões na TV a declarar aquilo que eles e os seus pares fazem, não se entende! O que será que os meios de comunicação social pretendem? Avisar os outros ladrões que foram apanhados? Ou para mudarem de "modus operandi" criminoso, que esse não funciona?

 

Aliás, a violação da bolsa alheia já aconteceu nos depósitos bancários, ou seja, nos depósitos a prazo, onde o dinheiro tem de estar na data de término do prazo do depósito e com mais dinheiro do que o constituído inicialmente. Isto das reformas é o mesmo dos depósitos à ordem, ora, se o depósito é feito à ordem, é para estar parado até o titular dar a ordem de levantamento, mas, se alguém usar esse dinheiro, deixa de estar à ordem, e passa a estar em parte incerta, pois não pode estar em dois sítios, no mesmo momento.

 

Como é que os pensionistas podem financiar o quer que seja, se não são entidade financeira, e o dinheiro é para estar parado até ser usado para pagar as prestações aos pensionistas... Primeiro colocam o dinheiro em fundos geridos por entidades financeiras, depois o dinheiro desaparece, depois a notícia diz, os depositantes (neste caso os pensionistas) financiaram algo que ninguém tem conhecimento, nem sequer foi comunicado aos pensionistas, por via legal, que estão a ser obrigados a financiar alguma operação de terceiros...

 

Autoridades em Portugal, não existe nem uma, é tudo conivente e como tal é tudo criminosos, pois se estão coniventes com crimes conhecidos por todos e nenhuma autoridade actua, então não são autoridades, mas, entidades clandestinas que se fazem passar por autoridades, para enganarem os queixosos. Por outras palavras, o esquema da democracia mundial do século XXI, sendo a sua casa mãe a ONU.


mais sobre mim
Setembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
21

26
28

29


pesquisar
 
blogs SAPO