comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 25.06.13 às 16:06link do post | favorito

Cá está as tretas dos devedores e dos credores, quando na realidade nunca houve dívida, ou se houver, é ao contrário, ou seja, o fisco é que deve milhões aos portugueses...

 

Mas, agora sim fez-se justiça, e na cara do, Coelho, Gaspar, e Cruz, que é para aprenderem que não mandam em tudo e todos!

 

http://www.noticiasaominuto.com/economia/84506/estado-perdoa-240-mil-d%C3%ADvidas-em-mega-amnistia

 

O que aprova a anulação da imputação aos portugueses é a legislação publicada:

 

http://dre.pt/pdf1sdip/2013/01/00800/0016100164.pdf

 

É claro, que existe muita vigarice nesta falsa amnistia, até porque aqueles que aldrabam os fornecedores e depois provam não ter bens penhoráveis, porque está tudo em nome de familiares, ou assim, acabam por se livrarem dos processos e ficar com o usufruto dos bens adquiridos. Mas, como a maioria da população está no limiar da pobreza, ou seja, abaixo dos 1500 euros mensais de rendimento líquido, o que é o mínimo para viver com as condições a uma existência digna e saudável, acaba por ser justo. Sim, porque além de estar ao nível europeu, pode ter uma residência com ar condicionado, o que é essencial na actualidade das cidades, onde a poluição é brutal. Por exemplo: Uma casa que gaste um quilowatt por hora, ou seja, mil watts, tipo um ar condicionado que esteja em funcionamento 24 horas por dia, seja a debitar frio no verão, seja a debitar calor no inverno, para mantêr uma temperatura interior de cerca de 22 graus, custa actualmente, cerca de 115 euros só em electricidade (24 x 30 = 720 kW mensais, 720 x 0,16 = 115,20 euros)...

 

E sem querer ofender, é isto que eu penso que toda essa gente da TV, desde ministros, a secretários, a deputados, a presidentes de câmara, a jornalistas, etc., os quais não conheço pessoalmente nenhum, mas, todos eles causam grandes despesas e encargos a outrém, tudo porque não têm bens penhoráveis, ou melhor, eles têm bens penhoráveis para tipo cem mil euros de dívida, mas, eles criaram mecanismos para gerar dívidas de 10 milhões ou mais, e assim, nada se pode fazer, eles não pagam porque a legislação diz que não podem pagar, e os que forneceram os bens ou dinheiro ficam sem nada... O que demonstra toda esta injustiça, é a publicação de dívidas enormes, seja das, câmaras municipais, seja dos sucessivos governos, seja dos partidos políticos, seja dos clubes de futebol, etc., o que numa perspectiva comercial é impossível de existir, porque qualquer fornecedor comercial tem a obrigação de verificar que o adquirente tem bens suficientes para pagar a mercadoria, o que demonstra que ambas as partes estão cheias de devedores, porque tanto o adquirente que não paga, como o fornecedor que entrega produtos sem garantias de pagamento, estão ambos a gerar grandes despesas e encargos e sem bens penhoráveis para indemnizar as partes lesadas...

 

Acho que não há prisões no mundo inteiro que cheguem para enjaular essa malta que consegue ganhar dinheiro a gerar dívidas a outrém, sem que o outrém tenha qualquer responsabilidade (ou conhecimento da situação)...


mais sobre mim
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

16
17
18
20
22

23
24
26
27
29

30


pesquisar
 
blogs SAPO