comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 29.08.12 às 20:39link do post | favorito

Para perceber as notícias da Troika, no cenário nacional, é necessário saber o que significa. Na minha opinião sempre que sai uma notícia que refere a Troika, tem geralmente um significado diferente, porque os intervenientes vão mudando, tendo apenas em comum que envolve indivíduos ou colectivos que residem no território nacional.

 

Para perceber o que significa a Troika, pode-se aceder a este documento, alojado em "pt.wikipedia.org/wiki/Troika", onde a Troika significa o resgate financeiro de três países, nomeadamente, a Grécia, A Irlanda, e Portugal. Mas, o mesmo assunto, no idioma inglês, tem outro significado totalmente diferente, associando a Troika com o Tratado de Lisboa realizado em 2009, remetendo tais entidades para as negociações entre a União Europeia e o exterior, como se pode verificar no documento (traduzido para português), alojado em "en.wikipedia.org/wiki/Troika_(triumvirate)".

 

Ou seja, na minha opinião a Troika significa sempre relações entre entidades associadas com outra entidades exteriores a essa associação, ou seja, a Troika e Portugal são relações entre a União Europeia e o país Portugal que não pertence à União Europeia, mas, que aderiu à moeda única europeia.

 

Então e que relações tem Portugal e a União Europeia? Penso que é semelhante às relações entre os Estados Unidos da América e Portugal, onde Portugal pedia, e recebia alimentos e outras regalias, e em troca permitia a presença dos Estados Unidos da América no território nacional, tipo base das Lajes, etc.; e o que Portugal está a fazer com a União Europeia é a mesma coisa, a pedir, e a entregar contrapartidas pelo que receber...

 

Portugal, sempre na pedincha, e de mão estendida, que nem um mendigo à porta da igreja!


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 27.08.12 às 22:38link do post | favorito

Se eu tivesse os meios, ou dinheiro para mandar, publicava uma notícia na primeira página de qualquer jornal nacional diário...

 

A notícia diria: Portugal vai herdar fortuna! Fulano tal, que fez fortuna, no Brasil, em Timor, e Macau, faleceu, não deixando herdeiros vivos, tendo sido comunicado ao governo português que deixou em testamento, toda a sua fortuna, avaliada em novecentos mil milhões de euros, estando para breve a entrega do património a Portugal, assim que sejam efectuados todos os trâmites legais... Depois desta notícia acabava-se a dívida, e troika, e etc.

 

Depois passado algum tempo, quando os do governo, percebem-se que não iam receber coisa nenhuma, pimba, publicava outra notícia...

 

A notícia diria: Portugal vai receber fortuna! Fulano tal, que fez fortuna, nos Estados Unidos da América, aderiu a uma religião, e como tal decidiu fazer voto de pobreza, tendo decidido doar toda a sua fortuna a Portugal; tendo sido comunicado ao governo português que doou, toda a sua fortuna, avaliada em oitocentos mil milhões de euros, estando para breve a entrega do património a Portugal, assim que sejam efectuados todos os trâmites legais... Depois desta notícia acabava-se a dívida, e troika, e etc.

 

E, assim, indefinidamente, para balançar as notícias de, dívida disto, e crise daquilo!


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 27.08.12 às 20:59link do post | favorito

Como diz o povo, mais depressa se apanha um mentiroso, que um coxo...

 

Ora vejamos, segundo a notícia, não recente, do expresso, Portugal tem o maior centro comercial da Europa, mas tal é mentira. De acordo com a notícia do expresso disponível em "expresso.sapo.pt/maior-centro-comercial-da-europa-inaugurado-na-amadora=f513101", o Dolce Vita Tejo é o maior centro comercial europeu, mas, no Reino Unido, fica um com quase o dobro da área, como se pode verificar em "en.wikipedia.org/wiki/Trafford_Centre", o qual tem mais de duzentos mil metros quadrados de espaço comercial; havendo ainda outro no Norte do Reino Unido com mais de cento e noventa mil metros quadrados de área comercial que também é maior que o Dolce Vita Tejo... O Trafford Centre, do Reino Unido, está abaixo dos primeiros trinta centros comerciais mundiais, segundo a informação disponível em "en.wikipedia.org/wiki/List_of_largest_shopping_malls_in_the_world".

 

Porra, em Portugal, nem o jornalismo presta!


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 27.08.12 às 16:00link do post | favorito

Com esta história da concessão da RTP, a conclusão a que se chega, como diz o povo, quem não deve não teme; é que todos os intervenientes do cenário nacional, desde, os que dizem ser o governo, os quem dizem ser presidentes, aos que dizem ser a PSP, aos que dizem ser a GNR, aos que dizem ser as FAP, etc., que aparecem constantemente nas notícias, não passam de indivíduos, ou entidades, que não pagam as despesas que fazem, ou que não pagam os bens que utilizam. E ainda por cima, passam a vida a dizer, que o estado lhes deve, ou que têm direitos, mas, o direito vem com o dever de pagar o imposto, pelo serviço prestado, ou pelo bem adquirido.

 

Depois o professor Marcelo disse que 150 milhões de euros das contribuições audio-visual e cinquenta milhões de euros das publicidades são entregues à RTP, mas, eu discordo. Tal dinheiro não é entregue à RTP, mas, sim à entidade que gere as antenas de transmissão do audio-visual nacional. Ou seja, sempre que no canal 1, passa publicidade, a RTP não está a transmitir, sendo a despesa da antena de transmissão suportada pela entidade que encomendou a transmissão da publicidade. A RTP, tal como, a SIC, e a TVI, paga a essa entidade que gere a antena pela transmissão do sinal TV da sua programação televisiva. É por isso que se encontra em estudo o fim da transmissão do canal 2, para diminuir a despesa paga à entidade das antenas. O que se passa é que a RTP está sempre com a alegação que presta serviço público, e que quem tem de pagar são os telespectadores, mas, os telespectadores não encomendaram qualquer serviço à RTP, nem são clientes da RTP; o que é rídiculo é que quem contrate electricidade tem de pagar contribuição para o audio-visual, quando devia ser facturado por empresa, com quem se celebre contrato para, receber tal sinal audio-visual, e ser instalada antena receptora externa para receber tal sinal audio-visual. Aliás o sinal, está actualmente, no formato TDT para as TVs, mas, para as rádios não, continuando a não existir uma única rádio a transmitir em digital em todo o território nacional!

 

Na minha opinião até podiam parar com a transmissão de ambos os canais da RTP, que a população nem sequer notava a diferença, tal é o baixo valor dos conteúdos da programação da RTP... Mas, como a constituição da república portuguesa obriga a que o estado tenha um canal televisivo, mas, felizmente, que lá não diz que tem de transmitir todos os dias, nem que tem de ser a RTP, e também não diz que se tem que gastar milhões de euros! Um canal televisivo dedicado aos comunicados do estado, sem grande pompa, sóbrio, e de baixo custo, seria o mais indicado.

 

Seja como fôr, o que está sempre à vista de todos, é a cambada de caloteiros, que passam a vida, a anunciar que vão aumentar os impostos, porque como eles não pagam o que devem, os outros pagam, a dobrar, a triplicar, e até mais, pelos serviços que lhes são prestados, ou pelos bens que adquirem, para que paguem o que outros recebem e usam. Estes caloteiros estão de tal forma organizados, que se dão ao luxo de estarem estabelecidos nas cidades, sem que tenham o dinheiro necessário para tal... Mas, como na práctica o estado não existe, nem se queixa, continuam impunes, furtando dia, após dia, o fruto do trabalho dos que trabalham! O que devia estar na constituição da república portuguesa, é que quem não paga as suas despesas, devia ser considerado culpado de gestão danosa, e assim, todas as entidades estatais, ou outras, que devem dinheiro, ou com passivo, seriam condenadas a serem geridas (por tutor) pelas entidades que pagam as suas despesas, ficando dependentes da autorização desses tutores para efectuarem despesa.

 

Viva a sociedade aberta, onde qualquer caloteiro, consegue pôr a mão no bolso de outro, e ficar com o que lá tiver.


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 25.08.12 às 20:35link do post | favorito

O futuro da RTP, parece ser o fim do canal 2, e a concessão do canal 1. Mas, isto é mais uma demonstração da fraca capacidade dos ministros em vigor.

 

Por um lado, seria bem melhor acabar com o canal 1, e mantêr o canal 2 (com a actual programação), o qual não passa publicidade, e custa bastante menos que o canal 1.

 

Por outro lado, a concessão do canal 1, é um pouco similar com as praias portuguesas, ninguém é dono da praia, mas o concessionário tem de pagar ao estado, e ainda cumprir com diversas normas, tendo a contrapartida de explorar estabelecimentos comerciais, tipo restaurante, snack-bar, gelataria, venda de toalhas e fatos de banho e afins, aluguer de toldos e afins, aluguer de gaivotas e motos de água e pranchas de surf e afins, etc.; é um pouco estranho ter que se pagar ao estado para gerir uma empresa, a RTP, e ainda ter de cumprir com o serviço público (seja lá o que isso seja)...

 

Depois ainda existe o facto, que a RTP, é a televisão europeia com menos custos, ou seja, é a mais barata, o que ainda torna mais esquisito estas mudanças em análise, pois se nem têm dinheiro para mantêr uma empresa, que é a mais barata da Europa, na sua actividade, só pode significar que estão com pobreza extrema, e pobres não mandam, pobres não comem, pobres vivem em barracas...

 

Qualquer dia vamos assistir à venda do palácio de Belém, mas, com a condição de mantêr o gabinete do presidente... Qualquer dia vamos assistir à venda da Assembleia da República, mas, com a condição de mantêr a fachada inalterada... Etc.

 

Por mim até podem acabar com parte da RTP, mas, também espero que acabem com a taxa de contribuição para o audio-visual! Pagar e não ter nada que se queira vêr (pelo menos 90% da programação) é que não está certo...


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 23.08.12 às 14:07link do post | favorito

Não existe, uma única cidade no território nacional da república portuguesa, que tenha bastantes estrangeiros (turistas), que não tenha, também, bastantes furtadores (os chamados carteiristas)...

 

Em Lisboa, operam, na zona do Castelo, na zona de Santa Apolónia, na zona de Belém, na zona do aeroporto. Em Coimbra, operam, na zona do Portugal dos Pequeninos, na zona da estação de comboios de Coimbra-A. Em Aveiro, operam, na zona da ria e nos passeios de barca. No Porto, operam, na zona da Torre dos Clérigos, na zona da Campanhã, na zona do aeroporto.

 

Os moradores locais não fazem nada porque nem sequer acham os turistas bem-vindos. Os comerciantes locais fecham os olhos para evitar serem furtados também (ou mortos). Os polícias ainda agravam mais a situação gastando o dinheiro público em processos de queixa que resultam em 99% dos casos em nada.

 

Depois temos os trabalhadores, que vivem em piores condições que os furtadores, ou seja, os furtadores têm mais dinheiro que os que trabalham em sociedades comerciais. Depois, os deputados, e delegados, e dirigentes, gastam balúrdios em organização política o que provoca que a população fique sem progresso a todos os níveis. A tecnologia disponível para ser adquirida pelos trabalhadores é de à dez, ou mais, anos. A higiene e saneamento das ruas e edificados é inexistente, sendo mesmo um atentado à saúde pública, devido ao fedor que invade, tanto espaços abertos, como espaços fechados, o qual persiste em sair das condutas das águas sujas. A poupança também não existe, por exemplo, as águas de, lavagem de roupa, lavagem de louça, banho, etc., podia ser canalizada para o autoclismo para ser reutilizada nas descargas da sanita. Etc., a lista não acaba...

 

Ora, se os furtadores vivem sem declaração de IRS, se os furtadores compram com dinheiro sem declaração de IRS, se os caixeiros aldrabam a facturação, mesmo quando emitem talão de venda, se os que compram o fazem sem apresentar prova de NIF, de que serve toda a papelada que, os trabalhadores, empresas, e demais, estão obrigados a apresentar todos os anos? Apenas serve para os furtadores escolherem dos que têm mais dinheiro, quais vão furtar (ou até mesmo assassinar)!

 

Se houvesse governo, já teria verificado a aldrabice que a maioria das contabilidades possui, e terminado com todas as burocracias e documentação, pois tal papelada não serve para nada, e só é pena não ser feita de papel higiénico, que assim a população sempre aproveitava o documento para limpar o rabo...


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 17.08.12 às 23:35link do post | favorito

Um anjo não é coisa complicada, ou como diz o povo, não é nenhum bicho de sete cabeças, sim porque o que é complicado é fazer um bicho com sete cabeças, e é aqui que tudo se descobre, pois não se viu um bicho com sete cabeças, mas, tal bicho é criado (ou efectuada mutação) pelo homem. E, um anjo, é exactamente isso, um homem, que sofre, ou mutação, ou perda de alguma faculdade mental, ou outra, mas, o resultado é um anjo...

 

Os anjos, os arcanjos, os cristos, é tudo homens de nascimento, mas que foram prostituídos, no sentido em que algo neles foi destruído ou alterado, deixando de funcionar como um homem saudável funciona. Tais anjos, etc., pensam e agem de forma diferente dos homens saudáveis. O problema é que homens saudáveis são raros nas cidades!

 

A segunda guerra mundial, marcou a Europa, profundamente, no sentido que a Alemanha combateu em parte muito judeu, e muito preto, e o mais provável foi ter morto bastantes judeus e pretos que praticavam, ou pagavam a outros para praticarem, as judiarias (maltratar outros homens transformando-os em outra coisa)... É claro, que pelo facto de ser judeu, ou preto, não significa que seja um alvo a abater, mas tanto judeus, como pretos, têm tendência a fazer atrocidades aos outros, para se apoderarem do que é dos outros, um verdadeiro terror, mas também há judeus e pretos boa gente.

 

E é aqui que o cenário político português entra em cena, pois o partido PSD, seria suposto ser de extrema direita, tendo como ideologia algo bastante similar com o nazismo, mas, ter um secretário-geral, nomeadamente o Passos Coelho, o qual foi líder da JSD, mas, que é casado com uma preta. E aqueles que pensam que os africanos são pretos, ou que os pretos são os africanos, tal não é bem assim. Eles estão é fortemente implantados em África, pois lá é mais fácil praticar atrocidades, pela dificuldade que é viver em tal meio ambiente hostil, cheio de, moscas e mosquitos, feras, répteis, etc., sendo na sua maioria mortais para o homem; o que faz com que a maioria do território africano seja pouco habitado. Não é à toa que, o apartheid existe na África do Sul, o muro de Berlim foi construído, a Rússia é fechada aos outros povos, as muralhas da China existem...

 

A Península Ibérica continua a ser assolada por muita gente de mau carácter, sem escrúpulos, e também gente que aqui habita, mas, cujos antepassados foram arrancados das suas terras natal, para servirem de escravos, mas, que actualmente vivem em aparente liberdade, sem ter ligação a esta terras ibéricas... Uma mistura digna de uma bomba atómica, ou outra, que provoque a exterminação de toda a sua população (com alguns inocentes, a chamada boa gente, à mistura)!

 

Ah! E para que fique claro, eu não sou racista, porque preto não é raça, eles são pretos porque têm, doença, ou deficiência, ou mutação, ou outra situação, que se manifesta pela pele negra.


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 15.08.12 às 13:47link do post | favorito

Então só um milhão e trezentos mil desempregados, óh senhores do INE olhem que é mais, e muito mais... Ou será zero desempregados?

 

Desempregado é aquele que tem carteira profissional, ou equiparado, e que não está empregado. O problema é que para estar empregado tinha de haver governo, e o governo não existe. O que existe é partidos políticos cheios de indivíduos a vêr se conseguem governar-se. O orçamento de estado, ou outros, apenas visam decidir quem fica com o dinheiro disponível, e claro está que ninguém vai entregar o dinheiro para criar empregos; o que se cria é serviços, onde trabalhadores não qualificados (ou sem classificação por entidade competente) prestam actividade laboral a troco de salário, mas isso não é emprego real, ou não se pode classificar de empregado. Também não existe desempregado à procura do primeiro emprego, porque um empregado seria alguém que recebia instrução para ocupar um posto de trabalho, onde ficaria empregado; se está sem emprego é porque fez cursos, profissionais, ou de educação superior, por sua própria vontade, ficando depois ao deus dará, porque tal formação só serve a quem pretende iniciar a sua própria empresa... Depois o que existe é investidores, indivíduos que têm dinheiro, mas não querem trabalhar, e assim iniciam empresas, e contratam esses que estudaram por sua própria vontade, mas, nada destas ocorrências tem equiparação ao verdadeiro significado de empregado, e assim sendo, mesmo aqueles que trabalham, têm de ser considerados desempregados, no sentido que não estão empregados, mas, não significa que possam ser empregados, pois para tal teriam que ser instruídos, para determinado posto de trabalho!


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 14.08.12 às 22:10link do post | favorito

Pois estamos em 2012, segundo a data dos jornais publicados e vendidos nas bancas de jornais, mas continua tudo na mesma miséria!

 

Os políticos continuam a usar os mesmos fatos que usavam no século passado, e usarão os mesmos fatos azuis daqui a dez anos, ou seja, a moda na classe política é mais velha que sei lá o quê, pois, deve ser porque o clássico nunca sai de moda; tretas dos pobres!

 

As canalizações continuam a feder, quer se habite em Lisboa, ou numa qualquer vila, ou localidade, no meio da serra, etc.; os arquitectos e engenheiros da construção são todos uns ignorantes das novas técnicas e sistemas, pois os seus projectos edificados acabam sempre a feder, com o passar dos anos, aliás até se deve conseguir datar o ano de construção pela quantidade de fedor acumulado, nas escadas comuns, nas instalações sanitárias, etc.; aliás este problema é mais um problema de saúde pública, mas, sem solução à vista, porque não existe pessoal qualificado suficiente para verificar e resolver todos os problemas nos colectores e esgotos, e os canalizadores não passam de técnicos de baixa qualificação que querem ganhar dinheiro à custa de manter os problemas!

 

A religião está na mesma, Fátima continua com o seu negócio de vento em popa, as igrejas continuam vazias, e as crianças são na sua maioria obrigadas a frequentar a catequese, mas os pais, de cristãos não têm nada. É tipo, se o meu filho fôr na cantiga do padre mando-o para a sibéria, aprender o comunismo, sim antes comunista (mas comunista tipo bloco de esquerda) que cristão...

 

Os monos (polícias) continuam a gastar o dinheiro público, o qual seria suposto ser gasto na manutenção das cidades, mas, que é gasto em patrulhas e chamadas de emergência; sempre que alguém chama a polícia, o que acontece é que o dinheiro público é gasto a pagar a tais polícias, e assim ainda se agrava mais os problemas das cidades por falta de dinheiro; perde-se porque foi roubado e depois perde a cidade porque mais dinheiro acaba no bolso do polícia!

 

As festas de verão continuam a gastar o dinheiro dos municípios, os quais não têm dinheiro para resolver os problemas dos munícipes, mesmo que as festas de festa nada tenham, e apenas 1% da população apareça no evento, os outros 99% não comem mas pagam...

 

Enfim, podia continuar, pois a lista não tem fim, aliás difícil é encontrar algo que tenha melhorado, ou que seja original (tipo nunca antes visto), e é isto que é o século XXI, sem naves a voar por todo o lado, nem um comprimido que tire a fome e nutra o corpo humano durante 24 horas, etc., etc., etc.; estamos todos numa cepa torta e dela não escapamos até à morte!


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 06.08.12 às 09:51link do post | favorito

Finalmente os americanos, ou seja, a NASA, aterrou em Marte, sim porque a NASA é que é a verdadeira americana, pois gasta balúrdios de dinheiro, mas, quem paga são os americanos; é tipo uma mulher, com quem não casámos, a qual nunca vemos, mas, que tem direito a gastar o que é nosso!

 

Mas, o que eu tenho "Curiosity" é como é que a NASA tem imagens da aterragem, e pior ainda, a RTP, mostra essas imagens sem uma explicação, do que representa. Será que a NASA tinha uma câmara de filmar colocada em Marte, à espera do robot "Curiosity"?

 

Incrível mesmo, é a NASA ter conseguido fazer uma viagem de mais de oito meses, sem reabastecer, ou seja, segundo a NASA, é possível viajar no espaço exterior ao planeta Terra, durante oito meses, ou mais, sem reabastecer, e sempre com movimento na direcção do planeta Marte. A questão é porque só levou um robot, tinha levado uma dúzia, deixava um em Marte, e siga viagem em direcção a Júpiter, e quando lá chega-se deixava outro robot, e seguia para o próximo planeta sucessivamente...

 

Só mesmo neste planeta Terra para existirem notícias destas como se fosse verdade, aliás, aposto que os observatórios, com os mais potentes telescópicos, se os apontarem para Marte, vão vêr o robot "Curiosity" a passear na superfície de Marte... O que acho credível é a NASA ter produzido um projecto que viabiliza uma viagem até Marte, mas, do projecto à realização, a diferença é enorme...


mais sobre mim
Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
16
18

19
20
21
22
24

26
28
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds