comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 23.05.11 às 23:10link do post | favorito

A legislação, os ideais, etc., é uma anedota de muito mau gosto, porque na sociedade comercial, armas de destruição do corpo humano, sejam colectivas ou singulares, têm valor comercial; ou seja, uma sociedade que dá valor, a objectos, cuja finalidade, é provocar o termo da vida humana, leva qualquer pessoa, com um pouco de inteligência, a verificar que a constituição da república não é válida, nem está em vigor, onde está estabelecida a sociedade comercial.

 

O artigo da constituição da república é claro, decretando que a vida humana é inviolável, no entanto o presidente da república é o supremo comandante das forças armadas, o que demonstra que não é presidente da república, mas, o opressor e inimigo da república...

 

Qualquer eleição para formar governo, ou mesmo junta, é inútil porque são viciadas, pela força das armas, aliás todos os que se opõem ao uso das armas acabam mortos, ou aleijados...

 

Todos já assistiram à democracia a ser implementada, no Médio Oriente, ou em África, sempre, com a presença de capacetes internacionais, os quais estão armados, para proteger os observadores internacionais, mas, também tais capacetes, oprimem os habitantes locais, e tornam todo o processo eleitoral, num processo pornográfico, que leva as crianças e outros, a tomar conhecimento da existência de tais armas e seu poder...

 

O mesmo acontece por cá, com a campanha eleitoral onde se vê, políticos, a explicar a velhinhas, que se não houver empréstimo, lhes cortam as reformas, ou seja, ou dão o que têm nas contas públicas, ou ficam sem as pensões... Ameaças verbais e demonstração de poder, que leva qualquer homem, a ficar indignado, como tais gajos não receberam educação, e que de facto só com apartheid, colocando tais políticos e outros gatunos, em reformatórios e outras instalações de correcção, para haver um pouco de respeito pela existência dos outros...

 

Mas até isso acabou, e por isso é o fim da democracia, e o fim de qualquer sistema, onde a força, e o poder, não sejam considerados... Os gangs (ou quadrilhas) ganharam e a educação perdeu... Agora só resta os poderosos do mundo, os quais vencem qualquer força, e que se indignam contra a opressão que sofrem, os agricultores, e pedreiros, e outros, que vivem das suas artes e ciências, mas que não sabem (ou querem) lutar pela força...

 

Os poderosos não são os países desenvolvidos, mas sim indivíduos, que vivem fora deste mundo, porque são superiores, em ciência, em mentalidade, em faculdades, e que sempre que visitam as cidades e lugares, atacam os que oprimem os humildes... Não são super-homens, mas são homens.


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 21.05.11 às 21:42link do post | favorito

Diz o povo na rua: "Isto está tão torto, que já ninguém o endireita!".

 

Mas se está errado, e se continua a practicar, ou é um mau povo, ou é uma democracia!

 

Isto da democracia, é como a religião, e outras ordens, ou casas antigas, foram estabelecidas, e os descendentes têm que levar com tais estabelecimentos, quer queiram, quer não... E qualquer adulto sabe o que acontece, quando se tenta obrigar um ser humano, a obedecer, é a rebelião e a revolta!

 

Por isso é que nunca se esclarece quem está enquadrado (é sempre a enganar), a quem cumpre obedecer, quem são os portugueses... É sempre a fazer, política, propaganda, quem pagar paga, quem não pagar perde os benefícios, etc.; tudo sempre muito superficial, sem aplicação na práctica...

 

O que se sabe, é que o que se pretende obtêr, é sempre o mesmo, ou seja, ficar com o que é dos outros... Um velho que tenha, uma vaca, algumas galinhas e ovos, batatas, couves, frutos, aparece lá o fiscal da Câmara Municipal, e pergunta se pagou o IMI, e se não pagou (até porque não pode por não receber euros), ficam-lhe com os animais, e com a terra... Ora o velho, já cá andava, e estabeleceu-se, ainda o 25 de Abril, e o IMI, não cá estava; fica logo sem nada, e o fiscal fica com tudo... Por isso é que 60% dos imóveis são do estado e da igreja, para estar em regime de isenção (mas continuam a usufruir dos imóveis)...

 

Um gajo casa com a gaja, tem de pagar, o serviço religioso, um gajo constitui actividade comercial, tem de pagar, notários, conservatórias, publicações no Diário da República, etc.; ou seja, é sempre a gastar, sem receber... Isto da democracia, religião, etc., sai caro, e é tudo esquema, para obrigar outros a entregar o que é deles de boa-vontade! Os sacerdotes até dizem, haja paz e boa-vontade entre os homens (é sempre a meter para o bolso)!

 

Ora, estes esquemas, sejam da tradição, sejam do estabelecimento, seja do regime, é sempre a mesma treta, os que tenham alguma coisa, ficam sem ela, para pagar impostos; os que não têm, inventam impostos para sacar aos que têm... Lá diz o sacerdote: "Ninguém dá o que não tem."...

 

Actualmente temos que aturar os Jardins e Cavacos e Sócrates (os Açores não chateiam!) dessa democracia, que não passam de indivíduos, que são obrigados a cumprir com o que outros estabeleceram... E essa é a base do engano, alguns indivíduos obrigam outros a pagar para cá viverem, sejam, nativos ou retornados das colónias, depois os que têm que pagar, como não têm, constituem governo, para obrigar outros a pagar, para que o governo possa pagar a outros; se os que trabalham, e os que têm propriedades, e os que têm alguma coisa, quiserem livrar-se dos impostos do governo, aparentemente, a melhor solução, é constituir "frente de salvação" e obrigar os estrangeiros (africanos, de leste, brasileiros, etc.) a pagar a taxa de permanência no território da nação, e chamar-lhe: a TPT do zé povinho...

 

Se está torto, outros que o endireitem, que eu não estou para aturar os filhos dos outros, e as suas mariquices... Se fossem homens não andavam a pagar com o que é dos outros... Se fossem funcionários públicos, teria de ser publicado no Diário da República, o nome e a categoria profissional (tipo foi contratado pelo governo o funcionário Sócrates, para ministro)...


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 05.05.11 às 18:34link do post | favorito

Quem é esta gente? Onde foram educados?

 

O facto é que qualquer indivíduo, ou grupo de indivíduos, que pensa que manda nos outros, algo está errado! Aqui, em Portugal, quem manda, é quem tem dinheiro, ou seja, é uma escravatura condicional monetária (se tens dinheiro mandas)...

 

Como cada vez mais existe gente sem dinheiro (e sem educação), aumenta o sistema de voluntários, ou seja, é uma escravatura socialista...

 

O facto é que ministros, e outros políticos, não foram instruídos para exercer cargo público... Nunca ouvi falar da escola superior da função pública... O que eles receberam de instrucção no sistema educacional, foram conhecimentos gerais, de ciências, como a, matemática, economia, geografia, engenharia, física, química, etc.; ora um estudante que termine o curso (e um curso não é suficiente para ser mestre, é apenas uma licenciatura), e seja inserido numa entidade empregadora, necessita de um curso profissional, para exercer actividade profissional, limitada aos métodos profissionais, os quais têm de estar enquadrados com os regulamentos nacionais e europeus... Caso contrário é um indivíduo que toma acções sem conhecimento do enquadramento legal, da entidade empregadora, onde está inserido, porque nenhuma faculdade ou universidade ensina tal enquadramento, por ser apenas válido em determinada empresa ou associação de empresas...

 

O mesmo se aplica aos ministros, e deputados, pois nenhum deles tem enquadramento legal com a entidade empregadora... O que são eles? Acho que são dirigentes sindicais locais, que pretendem auto-elevar-se a dirigentes sindicais nacionais, mas que são apresentados, através de propaganda, como ministros e deputados de todos os portugueses, o que é uma coisa, que até o varredor de ruas, pode afirmar, que é o varredor de ruas de Portugal... Mas na práctica só varre as ruas da área onde está empregado...

 

Também a polícia, sempre a aplicar coimas e multas, mas sem respeito ou consideração pelos enquadramentos legais... Por exemplo, um civil, que exerça actividade laboral, em quartel militar, não tem enquadramento legal com o código militar, e no entanto, todos os dias, circula em estabelecimento militar...

 

O mesmo se aplica às eleições, ninguém tem a obrigação de votar, nestas listas de candidatos, porque tal votação, está limitada, aos que aderiram ao sindicato de tais delegados ou dirigentes... O problema, é que no nosso mundo, a câmara dos comuns, está em Inglaterra, e tal como Portugal recebe produtos da China e Taiwan, feitos por mão-de-obra barata, também outros recebem os produtos de Portugal, feitos por mão-de-obra barata... Tem tudo relação com o que se ganha e gasta, pois se houver um país, que tenha mão-de-obra, a um cêntimo de euro por hora, todos passariam a importar desse país, tal só não acontece, porque se desconhece qual país que fabrica com tais condições...

 

O que é um ministro, senão um guarda-livros, nada mais... Quem decide são, os donos da terra, os senhores. Os ministros apenas zelam pelos registos, e ordenam a sua aplicação!

 

A minha pessoa não participa em eleições, sejam, nacionais, regionais, ou locais, aliás tudo o que é publicado por edital, não é coisa boa, pois já fui forçado a cumprir com a instrução militar, e o resultado foi, intoxicação alimentar, operação de urgência ao apêndice, perda de faculdades, danos morais com alguma gravidade, despesa para o estado sem proveito para ambas as partes, etc.; e alguma vez fui indemnizado, nunca!

 

O facto é que querem me forçar a aturar os filhos dos outros, pois os polícias, geralmente são aqueles que na escola pública praticavam o "bullying" (quem apanhou tareia lembra-se deles), os políticos são aqueles que na adolescência praticavam roubo dos, berlindes, ou o que se tivesse nos bolsos (em caso de dúvida perguntem ao primeiro, o que é o alto-dos-moinhos, actualmente uma urbanização em Lisboa)...

 

Mas actualmente, são todos cidadãos, mas lá diz o povo: "O que nasce torto, tarde, ou nunca se endireita."


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 04.05.11 às 18:24link do post | favorito

Hoje os canais de notícias ficaram cheios de notícias referentes à troika...

 

Destacando a notícia exposta no URL: "http://economico.sapo.pt/noticias/falsos-trabalhadores-independentes-passam-a-ter-apoio-no-desemprego_117288.html", torna evidente que troika é esta...

 

Uma pessoa singular, que passa recibo verde, regularmente, a uma única empresa, não se considera ser um falso trabalhador independente... A legislação em vigor, clarifica, segundo o decreto-lei publicado pelo Ministério das Finanças, um trabalhador independente é um trabalhador que exerce profissão pelos seus próprios meios, ou utilizando os meios da entidade empregadora, sem estar sob a autoridade desta, mas entregando o resultado do projecto que lhe foi encomendado... Agora se é regular, ou se exerce em apenas uma empresa, não é considerado para a sua classificação...

 

Esta troika, e as suas recomendações (ou condições), para haver empréstimo de alguns milhares de milhões de euros, não é mais que uma tentativa (já foi tentada antes pela Ministra do PSD no caso dos dentistas), para acabar com o regime dos trabalhadores independentes...

 

Quanto ao pacote de medidas, é, sem dúvida, a publicação do PEC4, dos socialistas, e querem cobrar biliões de euros, pela sua apresentação e disponibilização pública. O empréstimo é uma forma de receber juros, sem causar falta de dinheiro nos cofres, ou seja, se emprestam dinheiro dos contribuintes, ao governo, fica tudo no mesmo cofre, e depois cobra-se os juros sobre esse dinheiro, e assim se saca dinheiro das tesourarias...

 

Mas, o que leva qualquer um a não dar importância ao regime político em vigor, é precisamente o facto de que nem conseguem implementar o regime que pretendem... Ou será que só querem o dinheiro dos outros?


comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 01.05.11 às 00:05link do post | favorito

A PT informa, num anúncio, na TV (SIC e companhia), que a rede de fibra em Lisboa e Porto, implementada em 2010, é das melhores da Europa...

 

A estratégia da fibra deve-se a poder obtêr mais velocidade, mas, foi um mau investimento, porque a TMN, está a anunciar, no URL da TMN, que já está disponível, em Cascais, a rede 4G, a qual permite velocidades de 100 megas/s, a qual, no futuro, pode ser ainda maior.

 

Ora, a questão, é simples, se a TMN faz parte da PT, e se os directores da PT, já sabiam em 2010, que em 2011 chegava o 4G, para quê gastar tantos milhões em, fibra, e técnicos, e a estragar a paisagem urbana, com caixas de derivação e fios por baixo das varandas, e a furar paredes exteriores, para passar os cabos para dentro das habitações, se em termos de velocidade, será a mesma, com uma simples PEN de banda larga, podendo também o sinal de TV ser transmitido por esta forma...

 

Ou seja o 4G só tem pontos fortes, tipo, se uma habitação com 4G, vai de férias, leva o 4G, não tem de ter fios no interior da habitação, a TV não está presa à box, podendo ser levada para a cozinha, para o sotão, ou onde se quiser, tudo isto e muito mais, com um único ponto em comum, com a fibra, os programas, canais, e qualidade, são exactamente os mesmos...

 

Ou seja gastou-se milhões em fibra, para agora ficar no esquecimento, e ter um enterro lento e moroso... Venha o TGV que terá o mesmo fim, no presente do Japão e outros países desenvolvidos, usam o monocarril e o comboio levitado... Venha mais estradas que terá o mesmo fim, não haverá gasolina para todos, e os carros eléctricos não são trocados por carros a gasolina, mas dinheiro, o qual já não há.

 

É o enterro de Portugal e da sua república, a monarquia que descanse em paz, que agora vamos ter que levar com o socialismo, à moda da China...


mais sobre mim
Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20

22
24
25
26
27
28

29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds