comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 14.05.15 às 21:27link do post | favorito
Decidi encerrar este blog...

É demais evidente a vigarice das autoridades locais, e a inutilidade de debater as suas acções e formas de actuar. Tanto a GNR como a PSP continua a actuar como se pertencessem todos à brigada de trânsito, e muitos nem sabem o código, apenas querem facturar! Depois temos os sistemas informáticos, com listas de devedores, com listas de criminosos, mas, sem autoridade que verifique tal veracidade, está tudo nas mãos de quem insere (e ao mesmo tempo decide o enquadramento legal) tais dados nesses sistemas informáticos. E ainda, mais flagrante delito, as inspecções, seja, aos veículos, seja, aos imóveis, onde tudo é colocado no mesmo saco, ou seja, se a viatura fôr um Ferrari, recebe o mesmo tratamento e valor a pagar, que uma viatura de gama baixa, e o mesmo nas obras de restauro, e emissão de licenças, e alvarás, é tudo igual,seja um palácio, ou uma simples vivenda, mas no fundo, são tudo burocracias cuja única finalidade é impedir os pobres de terem o seu espaço coberto (a barraca, ou arrumos), pois gastam mais dinheiro em registos e burocracias que na própria casa (conforme mandam os doutores), o que por si só demonstra que toda a legislação portuguesa visa prejudicar o pobre e favorecer o rico (se o pobre tivesse isento, gastaria todo o seu dinheiro nas obras pròpriamente ditas, e assim conseguia melhores condições de habitação)... Já o rico, nada nem ninguém o protege, e sempre que o assassinam ou furtam, não são os papéis que lhe devolvem a vida ou os seus pertences (nem as polícias andam a bater porta a porta, a verificar que o morador é o titular do registo predial)...

O fim é que, tanto o sistema judicial, como o sistema político, são mentiras, e os seus intervenientes, mentirosos, pelo que é inútil qualquer conversação (blogues incluídos), pois nada do que dizem serve o país ou os portugueses ou os estrangeiros. São todos doutores, que apesar de saberem tudo de cór, não estão habilitados a interpretar, nem consideram tudo (princípio geral, sentido da lei, etc.), falhando assim o enquadramento legal!

Viva a Espanha! A galinha do vizinho é sempre melhor, e aqui neste país, onde as forças armadas impedem tudo e todos, fica toda a população sem fazer algo de proveitoso, num país rico, onde todos são pobres, e os que parecem ricos, são VIPs porque devem bastante dinheiro por serem responsáveis por acções danosas, e se morrerem ficam os credores a arder, por isso os colocam em grandes carros e assim, para estarem sempre protegidos, no seu melhor, numa derradeira tentativa dos credores de recuperarem algo de valor em troca...

comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 07.05.15 às 17:35link do post | favorito
"Explosões de gás fizeram 15 mortos em 4 anos" (SIC)... E quinze indivíduos não fazem cá falta, mas, seria bem melhor para, todas as famílias, e até mesmo para, o Universo, e mais além, se o gás, seja em botija, seja canalizado, tivesse obrigação legal (ou outra) a ser colorido, ou seja, visível a olho nú quando libertado para o exterior, e esta mesma situação, devia ser obrigatória, na canalização de esgotos, esteja implementada, na via pública, no interior de edificados, etc., pois assim sempre se conseguia localizar, em tempo real, todas as fugas que contaminam e poluem o tão apreciado ar fresco!

comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 07.04.15 às 16:06link do post | favorito
Se alguém convidar outrém para fazer algo com ele, e caso seja recusado, voltar a convidar oferecendo dinheiro, e for aceite, é considerado prostituição? Acho que só se o convite seja sobre sexo... Isto coloca a polícia no patamar de fascistas armados que vivem às custas dos outros, e que obrigam a população a pagar pelos seus "serviços" (prostituição moral).

A legislação é clara, ninguém pode ser obrigado a usar serviços de terceiros... Levando isto para a circulação rodoviária, um condutor não pode ser obrigado a realizar inspecções obrigatórias nos centros autorizados para tal, o que o condutor tem de fazer é prova que o veículo se encontra em condições de circular, e se o condutor tiver os meios para realizar a tal inspecção, não pode ser obrigado a pagar por tais serviços... O mesmo se aplica ao estacionamento em locais pagos, novamente só tem de pagar o serviço à EMEL se não provar que faz o mesmo serviço que a EMEL...

Voltando ao sexo: Ou seja, se convidar alguém para almoçar no restaurante, e pagar para me acompanhar, não é prostituição, mas, a mesma exacta situação já é prostituição se em vez do convite ser para almoçar, for para fazer sexo...

O mesmo, um proxeneta que obriga outrém a dar-lhe dinheiro, maltratando e explorando, mas, a mesma exacta situação já é legal, se em vez de proxeneta, for entidade empregadora ou entidade patronal. E com o actual salário mínimo nacional é o que acontece a todos os que auferem tal salário, e pior os pensionistas que recebem abaixo e não têm mais ganhos, vítimas de maus tratos de um sistema nacional que prejudica quem calha...

A polícia tem, ou falta de visão, ou dois pesos e duas medidas. Aliás as prostitutas além de serem exploradas pelos proxenetas, ainda levam pancada e maus tratos da polícia, desde verem os seus bens retirados da sua posse, como são revistadas nas cavidades corporais (vagina, anús, etc.) por polícias com luvas os quais forçam tais cavidades na busca de drogas e valores...

Que cenário de merda que este país é. Onde os direitos são nulos, pois caso tenha dinheiro pode comprar, mas, o que compra, nem sempre está nas condições devidas, o seja, o preço é para algo em boas condições, e paga e recebe algo de qualidade inferior... Muito comum nos imóveis, onde os valores declarados, referem-se à localização e área útil, mas, nunca estão em bom estado de conservação!

No final das situações serem analisadas, verifica-se que a lei da polícia é contra sexo e droga, mas, ambos são usados pelos polícias, nas suas vidas privadas, e nos produtos farmacêuticos. Tudo é legal se estiver de acordo com a mentalidade policial. A lei não serve de nada ser lida e estudada, pois as forças armadas têm a sua própria lei do certo e errado (proibido)! E desde que pague a coima já pode fazer o que quiser, aliás até pode pagar para ter licença para matar pessoas, é tudo uma questão de dinheiro... Ninguém está acima da lei, mas o dinheiro anula a lei, porque o dinheiro não é alguém, o dinheiro é deus (para as forças armadas e seus comandos)!

comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 13.03.15 às 23:02link do post | favorito
No outro dia, ao acordar, naquele período entre, acorda, não acorda, verifiquei que estava a sonhar, e ao acordar consegui reter parte do sonho.

Vi um caminho cravado de pedras redondas, o qual dava para uma população fortificada, e sempre que tentava iniciar marcha no caminho vinha muita água, obrigando-me a saltar para cima do muro, e o caminho ficava todo inundado. Após algumas tentativas lá consegui passar, num momento que a água recuou, e verifiquei que o caminho passava entre um fosso, com comportas, as quais sempre que abriam, libertava muita água, muito engenhoso tal sistema de defesa, e alguém apanhado no meio do caminho, difìcilmente conseguiria nadar até à superfície, tal era a quantidade de água.

Depois de entrar pelos portões, olhei para os edificados, e pela arquitectura não consegui perceber se eram construções recentes, se antigas. Também as pessoas pareciam iguais às pessoas de outras populações.

Mais à frente encontrei uma taberna, e entrei, perguntei se serviam refeições, e mostrei o dinheiro que tinha, e o homem foi para dentro, e passado algum tempo, apareceu com pão e azeitonas, e perguntou se queria sopa e o prato dia, disse que sim, e para beber pedi um jarro de água, pois estava curioso para saber se tinham boa água, mas, assim que coloquei o copo na boca, o cheiro era igual a Lisboa, que asco. Ó caralho, estava a sonhar com Portugal (um dos barões assinalados)!

comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 09.03.15 às 19:35link do post | favorito
Sem dúvida alguma ou estamos, em Moçambique, ou estamos perto de Dakar, e o leitor mais atento dirá que não porque aqui a Lua e o Sol são pequeninos, e em África são enormes, mas, tal é mentira porque aqui a Lua e o Sol são enormes, estão é tapados por alguma aeronave (ou similar) que reduz o tamanho que fica visível... Garanto a 100%, basta olhar para a Lua nova e verificar que está-se a vêr a Lua por um buraco!

A questão que fica por responder é, se estamos em Moçambique não faço ideia porque estamos nesse país, e nesse caso, o mais correcto, é o Norte de Espanha ser de facto a África do Sul, ou lá perto; mas, se estamos perto de Dakar, então a história não mente, e está ligada à história do rei D. Sebastião que perdeu a batalha de Álcacer-Quibir, e ou somos prisioneiros dos árabes, os quais invadiram Portugal e nos obrigam a viver aqui perto de Dakar, longe da pátria, ou o rei D. Sebastião vinha invadir o Norte de África e descobriu que não havia nada para conquistar (ou seja não perdeu a batalha porque não houve batalha), só terra e mais terra e implatou aqui um reino, ou os de Portugal vierão mais tarde, e derão cabo dos árabes em nova batalha e agora obrigam-nos a viver esta mentira (cuja verdade é a invasão de Portugal em terras de mouros), e ao longo dos séculos foram modificando a paisagem com árvores, etc., similares à da península Ibérica (neste caso, o mais correcto, é o Norte de Espanha ser de facto Marrocos), ou talvez usando tácticas militares para ocultar tudo o que serviria de prova para a mentira geográfica (talvez tinta invisível, ou seja, tinta militar que os olhos não conseguem vêr, que gere algum comprimento de onda luminosa fora do visível do olho humano; outra possibilidade é não deixarem passar a luz e sim estarmos a ser iluminados por ondas de radiação que nos cegam, ou que não reflectem os objectos que era suposto a luz reflectir; para provar tudo o que digo só com uma lâmpada eléctrica que dê luz correcta, tipo lanterna, e procurar aeronaves, ou marco, ou sinalização...)!

O mais certo é os nomes das terras estarem correctos, ou seja, temos Lisboa e Porto, mas, não estamos na península Ibérica, lá as terras são tipo penhascos (terra de cabras), e têm outros nomes, pois já passaram vários séculos e foram alterando à medida que faziam novos baptismos, até porque falta muita informação, pois sabem quando baptizam os bebés, mas, poucos sabem a data em que a terra foi baptizada com tal nome de localidade (coisas dos cristãos); aqui onde estamos fizeram fossos no Algarve e encheram de água, junto a Agadir, para que seja similar à península Ibérica, quando visto de avião! Por isso diz o povo, ver Braga por um canudo, e agora passa a dizer também, e ver o céu por um buraco...

Quanto às taxas que nos cobram, acontece como acontece dentro de um estabelecimento prisional, onde um prisioneiro, muitas vezes paga a outro prisioneiro, para não apanhar tareia, ou pior ainda, acabar morto nas mãos doutro prisioneiro, pelo que o povo tem de aplicar taxa a quem taxa, e taxa de mil vezes o que taxou, para aprender a não taxar, e começar a trabalhar como os outros, pois em nada são mais do que os que trabalham.

Toma, embrulha e vai buscar!

comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 05.03.15 às 20:12link do post | favorito
Conhecem este indivíduo:

http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=1&did=180331

Se pusessem esse indivíduo em Moçambique, a pentear macacos, o mais certo era ser morto ao fim de uns dias.

Para poder pentear macacos, primeiro tinha que tirar um curso na Europa para estar habilitado a tal (formação profissional).

Depois viajava até Moçambique. Aqui não é Portugal, acho que é Moçambique, por isso só tinha que ir à selva certa, porque se no Texas na América do Norte, que está a uma latitude inferior a Portugal e igual a Marrocos, actualmente nevou bastante, se aqui fosse Portugal, no Porto tinha que nevar, como não neva só pode ser Moçambique e o espaço enorme entre a fronteira e Madrid é um deserto qualquer ou mesmo alguma selva tropical. Isto explica porque são todos naturais de Moçambique, os do parlamento, e outros são da nacionalidade port., que significa portuguesa, e não de Portugal (uma república, ou colónia).

Quando tivesse junto dos macacos, começava o serviço, e após alguns dias, quando os macacos começassem a perceber que estavam cheios de comichão e que foi ele que os encheu de piolhos, matavam-no logo. A menos que ele conseguisse iludir os macacos e arranjasse um bode expiatório para ficar com as culpas. E porque tem ele piolhos? Porque está a ficar com calvície, típico das infecções das mordeduras dos piolhos, comuns da pélvis.

Ora os macacos, os cães, etc., ficam doidos quando percebem que alguém que se aproxima deles, cheira a insecto, ou que está doente, chegando mesmo ao ponto de tentarem matar.

Quanto à segurança social, deve estar senil, ou trocou as iniciais e devia dinheiro aos serviços secretos (é tudo SS), segurança é algo que nunca terá, nem ele, nem ninguém, e pagar para ter insegurança acho que ninguém quer (nunca terá benefício)... Basta passar junto ao Jardim Zoológico na estrada de Benfica para cheirar a bosta dos animais, e verificar que as pessoas que ali moram nem direito têm a abrir uma janela, quanto mais segurança social. Se quiser comprar um comprimido antibiótico, sem recorrer a serviços de médico do SNS, não pode (em total oposição à constituição que diz que um trabalhador não pode ser obrigado a usar serviços de terceiros). Outra prova de falta de segurança, é que pagando no multibanco, não consegue provar ou verificar que a entidade que recebe o dinheiro é a Segurança Social, mesmo que na loja do cidadão lhe mostrem o extracto dos pagamentos no seu nome e número. Qualquer habilitado a interpretar a legislação verificaria que as contribuições obrigatórias são retiradas na fonte e nunca é o sujeito que inventa pagamentos. Outro problema é que a fonte não é entidade empregadora, apenas sociedade comercial, o que falha os enquadramentos legais todos, ou seja, tal só se verifica (o enquadramento legal) naqueles trabalhadores que são pagos pela administração central, os negócios particulares não têm enquadramento legal, sendo o particular que decide se pretende os serviços de tais entidades estatais, realizando pagamentos por conta (sem obrigação); a somar a isto tudo existe os assaltos que quase todos os que pagam à Segurança Social sofreram ao longo das suas vidas, aliás desde miúdos, e em idade maior, tanto atacam patrões como trabalhadores, e tipo, passa a carteira ou a vida.

Toma e embrulha!

comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 02.03.15 às 00:25link do post | favorito
Um Sistema Nacional de Saúde que não tem um único dentista, é um sistema nacional de doença, pois a saúde oral é a primeira defesa para uma vida saudável, pelo que me recuso a viver no mesmo país do governo do SNS, pois são governados por doentes. É claro que a Europa tem um sistema de segurança social, tão avançado, que um gajo pode ir a, Espanha, ou França, ou até mesmo a Cuba, tratar dos dentes às custas da Segurança Social...

As farmácias não podem perder a clientela, pois lucram com a doença, mas, por outro lado, um doente que queira comprar uma caixa de antibiótico por ano, não pode, só com receita médica, e a pergunta que a indústria farmacêutica deve responder é, se um doente tomar uma caixa de antibiótico (tipo 20 comprimidos) uma vez por ano, que mal lhe faz, ou que dano pode causar ao corpo humano? E a resposta é nenhum, porque o antibiótico limpa o corpo de muito agente interno que causa doença e mal-estar, e se quem quiser antibiótico o pudesse comprar sem ter que pagar a um serviço que nada contribui para a sua saúde, muita doença era evitada, e tal prevenção é inaceitável, pois o lucro seria baixo.

Por outro lado, se as pessoas não gastassem tanto dinheiro com o SNS, teriam mais dinheiro para gastar em produtos de beleza, suplementos alimentares, vitaminas, etc., mas, quem manda são os pelintras, das classes médicas, das classes altas, etc., porque eles são ricos porque mandam no tipo de produtos e serviços que a população pode adquirir, e isto é prova de que, não existe Sistema Nacional de Saúde, não existe democracia, não existe liberdade, não existe segurança, não existe sociedade, e que muitas das partes não beneficiam desta sociedade fascista e governo ditador em que vivemos, no século XXI em Portugal.

Por outro lado, é uma ilusão pensar que a ditadura quer mandar em toda a população, a ditadura quer mandar em todo o território nacional, ou seja, todos os recursos naturais lhe pertencem e são para seu lucro, a população que seja apanhada por eles (forças armadas) a pescar um balde cheio de peixes fica logo sem o material de pesca, ou tem de pagar coimas, e mais coimas, e taxas, e licenças, e tais quantias dava quase para equipar uma peixaria de frescos ou congelados! Uma solução era fazer uma faixa, tipo faixa de Gaza, ali para os lados do rio Sado, ou mesmo Rio Guadiana, e enfiar lá toda a população que não serve para a ditadura (havia de ser um espéctaculo com milhões de seguidores na Net)...

Mas, se o governo é a ditadura, e se mandam no comércio, e se eu quiser comprar uma simples caixa de antibiótico não consigo (a caixa de comprimidos está mesmo ali a metros do balcão e o dinheiro na carteira, mas a venda não se realiza), ou seja o governo não manda em mim, e por isso não consigo comprar antibiótico, mas, se eu conseguir mudar de enquadramento legal, e passar a ser mandado pelo governo, já posso comprar o que preciso.

comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 27.02.15 às 19:53link do post | favorito
Foi notícia que os processos, em tribunal, mais importantes (não devia haver VIPs na justiça), estão guardados em garagem:

http://www.oa.pt/Conteudos/Artigos/detalhe_artigo.aspx?idc=44373&related=1&ida=139766 http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=761273

Os mais importantes?!? Um deles é o do Sócrates... Seja como fôr, o tribunal não é a justiça, a justiça é apenas uma pequena secção de um tribunal, e tribunal nenhum neste mundo existe sem um arquivo à altura, pelo que todos os processos que estejam fora desse arquivo, seja em garagem, seja em prédios antigos, seja noutro local, só pode significar que tais processos não existem, e que são fora do âmbito do tribunal, ou seja, negócios particulares.

E no caso do Sócrates como está fora dos arquivos do tribunal, só pode significar que a prisão do Sócrates é uma farsa, e um tapa olhos para os que perderam o dinheiro, o tal dinheiro que o Sócrates diz ter entregue, e os que perderam o dinheiro nunca mais o vão ter de volta, mas se calhar o dinheiro também está na garagem, e todos os falsos justiceiros, e guardas prisionais, e polícias, estão todos a trabalhar e a serem pagos com os tais 20 milhões, isto só do processo do Sócrates, fora os milhões dos outros processos.

Pelo que existe dois tribunais, o verdadeiro com arquivo, e o falso com os processos aos pontapés pelos cantos e paredes de salas e corredores... Mas, ambos usam as mesmas salas de audiências, ambos usam as mesmas secretarias, etc., mas como os tribunais verdadeiros apenas estão abertos em certas e determinadas alturas do calendário, todos os que lá vão fora desse horário acabam nos tribunais falsos. O problema é que na polícia acontece o mesmo, o que leva a população a odiar essa gente, porque a farda não faz o polícia, e não à como os distinguir, apenas quando a população começa a levar pancada ou tiros é que toma conhecimento que não é polícia, apenas mais um criminoso fardado!

Deve ser por isto que o falso pápa Francisco (o gajo era o pai do Paulo "banana" em Lisboa, São Domingos de Benfica, na rua Cândido Figueiredo, vinte anos mais tarde era o porteiro da discoteca em Santo André na costa Alentejana, sempre a ameaçar as pessoas de morte, e a ficar com o dinheiro das tendas do parque de campismo, e actualmente pápa no Vaticano) continua em liberdade, pois o que fez ao pápa Ratzinger, quando este esteve em Lisboa, no Terreiro do Paço, é algo digno de prisão perpétua, e agora é vê-lo com o anel e as roupas do pápa, a atacar todos os que têm título Dom (o último o Dom Clemente), usando de farsa para o levar à falsidade e engano (título de cardeal dado por falso pápa é vigarice, e um Dom não pode vigarizar, ou pode?)...

comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 17.02.15 às 22:03link do post | favorito
A questão da república e da legislação, fica por esclarecer nos meios de comunicação, ou melhor, a quem compete esclarecer e instruir a população, tipo, um gajo quer comprar algo, um carro, uma casa, uma TV, etc., e quem tem conhecimento, ou dever, de o informar como fazer, e que significa tal aquisição, e qual o uso que pode fazer, etc.; desconheço tal gabinete de apoio em qualquer loja do cidadão...

Ora, a constituição da república diz que alguém tem direitos e deveres, mas, como tal não se verifica para todos os da população, leva a questionar a quem se aplica tal texto (tratado ou similar)! Ora a constituição de família é um dos direitos, mas, segundo as farmácias, as quais têm um cartão, chamado de família portuguesa, induz-nos que a família é a portuguesa e não o apelido no nome, ou seja, o conjunto dos apelidos nacionais pertencem à família portuguesa, e podem vir para o território nacional um monte de franceses e constituir uma família francesa, será assim? Além disso também são conhecidas as casas, a casa alentejana, a casa do povo, a casa de portugal, etc., existem centenas delas... Pessoalmente acho que família é a classificação de Darwin, e a família, segundo essa classificação, é a dos homens, mas, deixa de ter lógica, pois se é tudo homens, qual família é constítuida?

Dito isto um gajo quando nasce é exactamente igual a outro que nasça noutro local nesse dia, e no entanto irá ter tratamento diferente, pois tudo depende de quem são os seus progenitores, uns são vendidos (a chamada barriga de aluguer), outros vão direitinhos para a barraca, infestada de pulgas e esgoto, outros vão para habitações devolutas, onde os pulmões são massacrados constantemente, e alguns vão para moradias e até palácios. Portanto igualdade onde? Só se fôr igual no formato, cabeça, tronco, e membros, porque no tratamento é sempre desigual.

Ou seja, quem instrui a população, a que se refere a igualdade e liberdade descrita na constituição, porque no tratamento e direitos habitacionais, e vestuário, alimentação, etc., não existe igualdade... E porque existe procurador da república, o que procura ele? E porque dão nome a um gajo, com registo, se não lhe serve para nada? Cartão de cidadão é uma anedota e farsa, e até mesmo uma vigarice, pois é fácil, através de máscara, fazer-se passar por outra identidade! Segurança zero, a bófia continua a disparar arma de fogo, e outras armas, em plena via pública, por tudo e por nada.

A única explicação é que, tanto os políticos da TV, como os polícias das operações Stop, sofrem de doenças mentais, e eu apostaria, maníaco-depressivo para os primeiros, e degeneração cerebral para os segundos, e quem os coloca nestes afazeres são médicos, os quais são impotentes contra tais doenças, e como são minoria perante os doentes, são obrigados a fazer todas as vontades aos doentes, ou fazem ou levam bala, que apesar de serem doentes, sabem premir o gatilho.

comentar
publicado por Lisboeta1970-, em 17.02.15 às 21:26link do post | favorito
Este governo, mais a sua fiscalidade verde, podiam ir até Moçambique e ficar lá, com a sua família de macacos, sim que os moçambicanos não são da família deles, logo só resta os macacos.

Então se o saco feito de plástico é tóxico e mau para o ambiente, porque não avisam os construtores civis, os quais usam na canalização tubo feito de PVC, o qual transporta as águas, as quais depois são tratadas e novamente fornecidas à população (cheia de toxinas do plástico PVC). E a água engarrafada em garrafões e garrafas de plástico, um perigo para a saúde pública e população nacional; porque o ministro não ordena a substituição do garrafão de plástico por garrafão feito de mármore italiano (côr laranja ou rosa, conforme o governo moçambicano). Aliás o problema é ao contrário, deviam era acabar com as latas de conserva e frascos de vidro e substituir por embalagem de plástico; basta abrir uma lata de grão em lata, ou pêssego em lata, ou ananás em lata, e depois de esvaziar cheirar, para sentir o bafo a metal... Ou seja, proibido estragar o ambiente, mas, obrigatório envenenar a população (os hospitais e clínicas agradecem).

A miséria a que chega o socialismo, quando tem de taxar sacos de plástico, para realizar colecta extraordinária aos comerciantes, mais parece outro IVA...

Este governo merecia ser corrido para a Arábia Saudita, pois lá, os árabes sabem como lhes dar o tratamento que merecem, pois lá os que são apanhados, a roubar, em corrupção financeira, em corrupção da ordem pública, etc., cortam-lhes a mão... Passava de governo da fiscalidade verde, para governo da fiscalidade maneta!

mais sobre mim
Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds